Tramagal: Não é no dia 1 de maio mas o Núcleo Museológico da MDF é para inaugurar este ano – Autarquia

O Núcleo Museológico Industrial do Tramagal, equipamento que pretende perpetuar o legado da Metalúrgica Duarte Ferreira (MDF), tem o processo de musealização em fase de adjudicação o que “não vai permitir que o Museu seja inaugurado no dia 1 de maio, como era nosso desejo”, disse hoje a presidente da Câmara de Abrantes, tendo remetido a mesma [inauguração] para o segundo semestre deste ano.

PUB

Em reunião de executivo, Maria do Céu Albuquerque disse que a inauguração “não vai decorrer no dia 1 de maio deste ano, como se tentou”, tendo referido que, “neste momento, estão a ser contratados serviços de musealização do espaço”, que visa preservar e divulgar a obra de Eduardo Duarte Ferreira e da MDF.

“Não sendo possível inaugurar a 1 de maio, a inauguração do espaço deverá ocorrer no segundo semestre deste ano 2016”, adiantou a autarca.

PUB
MetalurgicaTramagalantigosedificios
O Museu visa a recuperação integral do edifício onde funcionavam os antigos escritórios da Metalúrgica Duarte Ferreira (MDF)

Em declarações ao mediotejo.net, a presidente da autarquia disse que o retardar da abertura do equipamento se deve a “contingências normais de um processo como este”, em que o investimento depende de fundos comunitários, tendo lembrado o atraso da entrada em funcionamento do novo quadro comunitário de apoio.

MDF_MUSEU
Foi a ministra da Cultura, Gabriela Canavilhas, quem homologou o protocolo para a criação do Núcleo Museológico Industrial do Tramagal, em cerimónia realizada em abril de 2011.

Nos períodos de maior expansão económica, a MDF chegou a empregar mais de 2600 pessoas nas suas diversas áreas, que incluíam a produção de máquinas e utensílios para lagares, agricultura, adegas, serrações e até construção naval e construção civil.

PUB

“A MDF teve um gabinete de estudos para o fabrico de máquinas, foi uma das mais importantes fundições do País e a sua oficina de mecânica chegou a ser considerada a mais importante da Península Ibérica”, disse em 2011 à Lusa o presidente da junta de freguesia de Tramagal.

Segundo Vítor Hugo Cardoso, a história da MDF “ainda hoje se confunde muito com a história do Tramagal” nas vertentes do emprego, agricultura, saúde e cultura, mas também no setor das atividades desportivas e sociais.

Contrato para construção do Museu da MDF foi assinado em setembro de 2013

Em setembro de 2013, a Junta de Freguesia do Tramagal celebrava o contrato para a construção de um núcleo museológico industrial a partir do espólio legado pela Metalúrgica Duarte Ferreira. O projeto de instalação do museu implica um investimento na ordem dos 120 mil euros, foi referido na ocasião, tendo sido adjudicado o trabalho para o piso do rés-do-chão do edifício.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Junta do Tramagal disse que a dinamização deste polo museológico vai permitir salvaguardar parte do património industrial da empresa e dinamizar a economia local.

“Por um lado, é importante a recuperação de muito do espólio de uma empresa que ajudou a escrever a história desta vila, preservando e divulgando essa mesma história. Por outro, acreditamos que pode ajudar a alavancar a economia local, tendo em conta os visitantes, historiadores e estudantes universitários que podem visitar o Tramagal”, apontou Victor Hugo Cardoso. A intervenção foi realizada e apresentava um prazo de execução de seis meses.

TRAMAGAL: Mitsubishi assinalou 50 anos de produção automóvel em fevereiro de 2014

A fábrica da Mitsubishi Fuso Truk Europe (MFTE), instalada em Tramagal, Abrantes, assinalou no dia 12 de fevereiro de 2014 os 50 anos de produção automóvel a partir da ex-Metalúrgica Duarte Ferreira, mantendo hoje uma das mais antigas linhas de montagem em laboração em Portugal.

Desde 1964 que a fábrica do Tramagal tem produzido veículos comerciais em Portugal, nomeadamente para os mercados europeus.

As necessidades das Forças Armadas portuguesas, e a tentativa de baixar o custo da Guerra Colonial, levaram a que em 1964 um camião passasse a ser montado pela Metalúrgica Duarte Ferreira sob licença da Berliet, no Tramagal, de onde deriva o seu nome: Berliet Tramagal.

Durante o seu tempo em que a MDF montou o camião, foram produzidas cerca de 3.300 viaturas.

A MFTE, precursora do trabalho desenvolvido na secção Berliet da então Metalúrgica Duarte Ferreira, produz atualmente o modelo Canter para mais de 30 países europeus a partir da fábrica do Tramagal.

TRAMAGAL: Exército cede camiões Berliet para futuro museu em maio de 2014

O Estado-Maior do Exército cedeu à Junta de Freguesia de Tramagal, a 26 de maio de 2014, dois camiões Berliet para o futuro Museu da Metalúrgica Duarte Ferreira (MDF).

As viaturas, de dois e três rodados, vão ser recuperadas no âmbito de um protocolo que a Junta de Tramagal está a desenvolver com uma empresa privada, e fazem parte de um lote das últimas Berliet do Exército que estão depositadas no regimento de manutenção, no Entroncamento.

O projeto de instalação do museu, que se previa inaugurar em 2015, implica um investimento na ordem dos 120 mil euros e resulta de uma parceria entre a Câmara de Abrantes, a Junta de Freguesia de Tramagal e as empresas Diorama e MDF, que hoje operam no local a par da Mitsubishi, e contará com espaços expositivos e documentais daquela que foi uma das principais empresas metalúrgicas do país.

“Estamos a trabalhar para ter o processo concluído o mais rapidamente possível”, frisou, tendo remetido a inauguração do Museu para o segundo semestre de 2016, ainda dentro do quadro de comemorações do centenário de Abrantes, que este ano se assinala.

Historial do processo de constituição do Núcleo Museológico Industrial do Tramagal

A vila do Tramagal, que assinala este ano 30 anos nessa condição, era uma localidade de cariz marcadamente rural, que vivia quase exclusivamente da agricultura e da pesca do rio como meios de sobrevivência. Esta situação alterou-se significativamente pela mão e engenho de Eduardo Duarte Ferreira, um tramagalense que instalou na vila uma pequena unidade industrial que impulsionou o progresso no concelho de Abrantes, e que assumiu igualmente um importante impacto a nível nacional. Esta empresa tornou-se no principal empregador da população local, e num dos primordiais patrocinadores da cultura e desporto da freguesia de Tramagal.

Ministra Canavilhas assinou protocolo para a criação do Museu em abril de 2011

Foi a ministra da Cultura, Gabriela Canavilhas, quem homologou o protocolo para a criação do Núcleo Museológico Industrial do Tramagal, em cerimónia realizada no dia 26 de abril de 2011.

O projeto resulta de uma parceria entre a Câmara de Abrantes, a Junta de Freguesia de Tramagal, a empresa Diorama (que funciona nas instalações da antiga metalúrgica), e a Predierg, e visa permitir a recuperação integral do edifício onde funcionavam os antigos escritórios da Metalúrgica Duarte Ferreira (MDF), a partir do espólio legado pela emblemática empresa.

Os parceiros querem assim preservar a memória de um dos pioneiros da metalomecânica em Portugal, Eduardo Duarte Ferreira (1856-1948), com a dinamização deste polo museológico que vai salvaguardar parte do património industrial da empresa.

A intervenção a realizar incide num edifício com dois pisos, estando um deles concluído, a esta altura, e que contará com um espaço onde serão instaladas as mostras expositivas e documentais da MDF.

MDF2
Comemorações do dia 1 de maio, em Tramagal, junto ao monumento à memória de Eduardo Duarte Ferreira. Em primeiro plano, Carlos Duarte Ferreira, Maria do Céu Albuquerque, Vitor Hugo Cardoso, Rui Duarte Ferreira e populares

Segundo o plano inicial, no piso superior será construído um pequeno centro cultural, com salas de reuniões, conferências e outros eventos. Será criado um percurso turístico de ar livre que fará a ligação do futuro Núcleo Museológico ao atual Museu “A Forja”.

Ao longo do percurso, com cerca de 300 metros, serão colocadas as máquinas de grande porte ali construídas ao longo do século XX, como debulhadoras, ceifeiras ou os célebres camiões Berliet, que equiparam o exército colonial português.

A Duarte Ferreira, que produziu os célebres Unimog e Berliet que equiparam o exército colonial português, chegou a ter 2.600 trabalhadores antes de ter sido intervencionada pelo Estado após o 25 de abril de 1974 e depois retalhada em pequenas empresas, muitas das quais viriam a falir.

MUSEU
A intervenção a realizar incide num edifício com dois pisos, estando um deles concluído, a esta altura, e que contará com um espaço onde serão instaladas as mostras expositivas e documentais da MDF (foto de 2011)

Na ocasião, a presidente da Câmara de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque (PS), disse à agência Lusa que o projeto foi candidatado a fundo comunitários e lembrou o “desejo antigo” de criar um polo museológico que salvaguardasse “para o presente e para memória futura” parte do património industrial de uma empresa que foi uma “escola de vida”, e que meia dúzia de pessoas foi guardando, impedindo assim que documentos e peças históricas de grande valor arquitetónico desaparecessem.

Em homenagem ao trabalho da MDF, foi construído em 1980 um museu de ar livre em Tramagal que mostra os utensílios utilizados na empresa, fazendo o “Museu A Forja” a reconstrução da primeira oficina e relatando a história da metalurgia e o desenvolvimento agrícola e industrial de Abrantes e do país.

Nascido em Tramagal em 1856 no seio de uma família muito humilde, o fundador da fábrica, Eduardo Duarte Ferreira, começou por se dedicar ao fabrico de alfaias agrícolas, em especial charruas, estando a sua pequena forja unipessoal na génese daquela que viria a ser uma das maiores unidades industriais portuguesas, tendo adotado como seu símbolo comercial e de marca uma borboleta.

MDF4
Os parceiros querem preservar a memória de um dos pioneiros da metalomecânica em Portugal, Eduardo Duarte Ferreira (1856-1948), com a dinamização deste polo museológico que vai salvaguardar parte do património industrial da empresa.

Nos períodos de maior expansão económica, a MDF chegou a empregar mais de 2600 pessoas nas suas diversas áreas, que incluíam a produção de máquinas e utensílios para lagares, agricultura, adegas, serrações e até construção naval e construção civil.

“A MDF teve um gabinete de estudos para o fabrico de máquinas, foi uma das mais importantes fundições do País e a sua oficina de mecânica chegou a ser considerada a mais importante da Península Ibérica”, disse em 2011 à Lusa o presidente da junta de freguesia de Tramagal.

Segundo Vítor Hugo Cardoso, a história da MDF “ainda hoje se confunde muito com a história do Tramagal” nas vertentes do emprego, agricultura, saúde e cultura, mas também no setor das atividades desportivas e sociais.

Contrato para construção do Museu da MDF foi assinado em setembro de 2013

Em setembro de 2013, a Junta de Freguesia do Tramagal celebrava o contrato para a construção de um núcleo museológico industrial a partir do espólio legado pela Metalúrgica Duarte Ferreira. O projeto de instalação do museu implica um investimento na ordem dos 120 mil euros, foi referido na ocasião, tendo sido adjudicado o trabalho para o piso do rés-do-chão do edifício.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Junta do Tramagal disse que a dinamização deste polo museológico vai permitir salvaguardar parte do património industrial da empresa e dinamizar a economia local.

“Por um lado, é importante a recuperação de muito do espólio de uma empresa que ajudou a escrever a história desta vila, preservando e divulgando essa mesma história. Por outro, acreditamos que pode ajudar a alavancar a economia local, tendo em conta os visitantes, historiadores e estudantes universitários que podem visitar o Tramagal”, apontou Victor Hugo Cardoso. A intervenção foi realizada e apresentava um prazo de execução de seis meses.

TRAMAGAL: Mitsubishi assinalou 50 anos de produção automóvel em fevereiro de 2014

A fábrica da Mitsubishi Fuso Truk Europe (MFTE), instalada em Tramagal, Abrantes, assinalou no dia 12 de fevereiro de 2014 os 50 anos de produção automóvel a partir da ex-Metalúrgica Duarte Ferreira, mantendo hoje uma das mais antigas linhas de montagem em laboração em Portugal.

Desde 1964 que a fábrica do Tramagal tem produzido veículos comerciais em Portugal, nomeadamente para os mercados europeus.

As necessidades das Forças Armadas portuguesas, e a tentativa de baixar o custo da Guerra Colonial, levaram a que em 1964 um camião passasse a ser montado pela Metalúrgica Duarte Ferreira sob licença da Berliet, no Tramagal, de onde deriva o seu nome: Berliet Tramagal.

Durante o seu tempo em que a MDF montou o camião, foram produzidas cerca de 3.300 viaturas.

A MFTE, precursora do trabalho desenvolvido na secção Berliet da então Metalúrgica Duarte Ferreira, produz atualmente o modelo Canter para mais de 30 países europeus a partir da fábrica do Tramagal.

TRAMAGAL: Exército cede camiões Berliet para futuro museu em maio de 2014

O Estado-Maior do Exército cedeu à Junta de Freguesia de Tramagal, a 26 de maio de 2014, dois camiões Berliet para o futuro Museu da Metalúrgica Duarte Ferreira (MDF).

As viaturas, de dois e três rodados, vão ser recuperadas no âmbito de um protocolo que a Junta de Tramagal está a desenvolver com uma empresa privada, e fazem parte de um lote das últimas Berliet do Exército que estão depositadas no regimento de manutenção, no Entroncamento.

O projeto de instalação do museu, que se previa inaugurar em 2015, implica um investimento na ordem dos 120 mil euros e resulta de uma parceria entre a Câmara de Abrantes, a Junta de Freguesia de Tramagal e as empresas Diorama e MDF, que hoje operam no local a par da Mitsubishi, e contará com espaços expositivos e documentais daquela que foi uma das principais empresas metalúrgicas do país.

MRF c/ LUSA

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here