Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Segunda-feira, Outubro 18, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tramagal | III Almoço convívio de ‘Os Gagos’ com inscrições abertas “por voz”

O III Almoço convívio de ‘Os Gagos’ vai decorrer no Tramagal no dia 3 de novembro e tem inscrições abertas até quarta-feira, dia 31 de outubro. O cartaz é claro: “És és GAGO ? Inscreve-te até dia 31, para mais um con convívio no Restaurante “O Grelhas – Tramagal“. A nota informativa refere ainda que só são aceites inscrições por “Voz” para certificado de ga gaguez, e não por SMS.

- Publicidade -

O cartaz que anuncia o III Encontro dos Gagos para uma confraternização na Vila Convívio gera sorrisos a quem o lê mas nem todos os que o leem poderão participar, apesar dos concursos e passatempos que marcam este convívio e que destaca os gagos mais tagarelas, os que mais gaguejam ou até os falsos gagos ou seja, os que pouco gaguejam.

Os almoços de grupo e jantares convívio são já uma realidade com mais de 30 anos em Tramagal, localidade conhecida como a Vila Convívio, reunindo à volta da mesa os mais diversos grupos onomásticos, grupos de inspeção, e outros sem outro motivo aparente que não seja o de conviver.

- Publicidade -

Inscrições para: Presidente dos Gagos: 918352089

Vice Presidente (O falso Gago) : 969 861 385

NOTA: Só sao aceites inscrições por “Voz” para certificar a tua ga gaguez

O I Encontro dos Gagos decorreu em Tramagal em 2016. Foto: DR

A ementa e o programa do último encontro, que reunir 12 gagos, não deixava dúvidas a quem ia: “Almoço à gaagoo, com entradas e tu tuudo”! O II Almoço de Gagos decorreu em Tramagal sob o mote “A falar na mesa”.

O exigente e competitivo Concurso de Gaguez implica evidente destreza no soletrar de palavras por parte dos valorosos gagos presentes nestes encontro, com três prémios em disputa: O rei dos gagos / o fa fa lador/ e o falso.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome