Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Agosto 3, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tramagal | Desempregado ganha 10 mil euros com raspadinha de 2 euros (C/VIDEO)

Uma raspadinha neón de 2 euros valeu um Natal mais desafogado a um desempregado da freguesia de Tramagal. Esta sexta-feira, dia 16 de dezembro, perante alguma incredulidade e muito nervosismo, a funcionária e o felizardo confirmaram mesmo que o valor do prémio era de 10 mil euros. É o maior prémio dado até hoje no Café Crescêncio.

- Publicidade -

O proprietário do estabelecimento, Crescêncio Valério, diz que há mais de 10 anos que dá sorte aos clientes e muitos prémios nos jogos do Euromilhões, sendo o maior dado até agora de 5 mil euros numa raspadinha. Mas, na sexta-feira, foi a sua ajudante, Carmen Rosa, quem vendeu a raspadinha com o maior prémio da história do café. Uma raspadinha ‘neon’, de 2 euros, estava premiada com 10 mil euros.

Raspadinha de 2 euros valeu um prémio de 10 mil euros em Tramagal. Foto: DR

- Publicidade -

O nome do premiado fica em sigilo, por razões óbvias, mas a alegria de dar é evidente na dupla da sorte para um tramagalense anónimo.

“Ficamos contentes por dar um prémio desta magnitude, mais a mais na altura do Natal, e por ir para um pessoa que até está numa condição de desempregado. Damos prémios quase todos os dias e já somos conhecidos como a Casa da Sorte mas este foi mesmo o maior prémio de sempre”, destacaram Crescêncio e Carmen ao mediotejo.net., com uma alegria própria de quem acabou por ajudar alguém a ter um Natal mais feliz.

Carmen Rosa vendeu a raspadinha com o maior prémio da história do café Crescêncio. Estava premiada com 10 mil euros. Foto: mediotejo.net

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome