- Publicidade -

Domingo, Dezembro 5, 2021
- Publicidade -

Tramagal | Câmara de Abrantes procura apoios para expansão do Museu MDF

Na última reunião de executivo de Abrantes, o vereador Luís Dias (PS) deu conta que a Câmara apresentou uma candidatura ao programa ‘Valorizar’ em 2019 para a segunda fase do Museu MDF, projeto de apoio que o Turismo de Portugal rejeitou numa primeira instância e que visa fazer crescer o Museu em termos da sua estrutura visitável e de aprofundamento do conhecimento científico do acervo industrial da MDF. A candidatura a apoios financeiros, que a autarquia quer assegurar, inclui a requalificação do caminho entre o Museu ‘A Forja’ para o Museu da Metalúrgica Duarte Ferreira, em Tramagal, a expansão e renovação daquele espaço, nomeadamente do 1º piso, e do próprio Museu ‘A Forja’.

- Publicidade -

A candidatura apresentada incluía ainda a renovação do primeiro piso do Museu MDF que “está na expectativa” [para poder avançar], referiu o vereador, investimento fundamental para que o espaço possa realizar eventos e acolher a comunidade científica e académica, sendo que o Museu A Forja, propriedade de uma entidade privada, “estava incluído na segunda fase do alargamento do Museu MDF”, o que, segundo o presidente da Câmara, Manuel Jorge Valamatos, “está dependente de candidaturas” financeiras para a conclusão do projeto.

“Apesar da candidatura a este financiamento não ter sido aprovada, numa primeira instância, vamos continuar a apresentar candidaturas para avançar para a segunda fase do Museu MDF”, disse o autarca ao mediotejo.net.

- Publicidade -

Museu da Metalúrgica Duarte Ferreira (MDF), fábrica que operou em Tramagal, e que tornou a borboleta num símbolo de poderio industrial, Foi inaugurado no dia 01 de maio de 2017, às 11:00. Foto: mediotejo.net

Segundo o plano inicial, no piso superior será construído um pequeno centro cultural, com salas de reuniões, conferências e outros eventos, e será também criado um percurso turístico de ar livre que fará a ligação do Museu MDF ao Museu “A Forja”.

Ao longo do percurso, com cerca de 300 metros, serão colocadas as máquinas de grande porte ali construídas ao longo do século XX, como debulhadoras, ceifeiras ou os célebres camiões Berliet, que equiparam o exército colonial português.

Os camiões Berliet, construídos na fábrica da MDF em Tramagal

O anúncio surgiu agora, meses depois da candidatura ao Valorizar, porque o vereador eleito pelo Bloco de Esquerda questionou o executivo sobre dois edifícios em estado de degradação pertencentes à família Duarte Ferreira, em Tramagal.

Armindo Silveira deu conta das preocupações de “alguma” comunidade tramagalense e referiu a antiga casa onde viveu Eduardo Duarte Ferreira com a esposa, e que mais tarde foi transformada em escola secundária, na Rua das Laranjeiras, e ainda um edifício na rua da fundição velha onde funcionou a primeira forja e também uma cooperativa e a biblioteca daquela freguesia do concelho de Abrantes.

A casa onde viveu Eduardo Duarte Ferreira com a esposa, e que mais tarde foi transformada em escola secundária, na Rua das Laranjeiras/Tramagal. Foto: mediotejo.net

“Estes dois imóveis que fazem parte da história de Tramagal, do seu desenvolvimento no século XX, estão a degradar-se”, notou o vereador. Sendo os imóveis privados, o vereador do BE questionou o executivo se pretende “estabelecer algum protocolo, comprar” ou qualquer outra diligência no sentido de “salvaguardar os imóveis e instalar neles algum espólio que seja do uso da comunidade”, pretendendo ainda saber se a Câmara tem estabelecido contactos com a família, com o objetivo de “perpetuar a memória” da Metalúrgica.

Edifício na rua da fundição velha onde funcionou a primeira forja de Eduardo Duarte Ferreira. Foto: mediotejo.net

Em resposta, o presidente da Câmara Municipal de Abrantes lembrou o investimento que o Município realizou no Museu Metalúrgica Duarte Ferreira, eleito Museu do Ano 2018, manifestando interesse em “perpetuar a memória” do comendador, recusando, contudo, a compra daqueles edifícios.

“Não podemos comprar tudo o que é património [daquela família] e transformar em espaços públicos, porque é impossível!”, disse Manuel Jorge Valamatos, vincando que o estado de degradação de um dos edifícios implicaria um investimento de milhões de euros para a sua recuperação.

Manuel Jorge Valamatos apontou a outras prioridades, lembrando que também os edifícios da Sociedade Artística Tramagalense (SAT) e da Tuna Tramagalense necessitam de obras urgentes. “Acabámos de ser o melhor museu do ano, há um conjunto de coisas que precisamos de afinar e valorizar no MDF. E querem comprar mais outro?”, questionou, pedindo “alguma contenção”, mas vincando que a Câmara “acompanha o assunto”.

Tramagal assinala o 1 de maio sempre com homenagem ao industrial Eduardo Duarte Ferreira. Foto arquivo: mediotejo.net

Por seu lado, o vereador Luís Dias considerou também como uma forma de perpetuar o legado e manifestar preocupação com o edificado os apoios ao associativismo, nomeadamente à SAT e à Tuna Tramagalense “e também o acompanhamento que a câmara tem feito nas candidaturas dessas entidades aos programas que a Tagus promove e da qual a câmara também faz parte”.

Câmara de Abrantes quer avançar para a segunda fase de ampliação e requalificação do Museu MDF em Tramagal. Foto: mediotejo.net

Confirmando os contactos com a família Duarte Ferreira, o vereador deu conta da articulação com a junta de freguesia no sentido de cartografar tudo aquilo que pertence à Metalúrgica Duarte Ferreira no Tramagal, espólio e documentos “já incluídos nos conteúdos multimédia” do MDF.

Museu ‘A Forja’ foi inaugurado em 1980. Foto: mediotejo.net

O Museu Metalúrgica Duarte Ferreira, inaugurado no Tramagal no dia 1 de maio de 2017, conta uma história com mais de um século, desde o dia em que Eduardo Duarte Ferreira ergueu a primeira forja, em 1879, e a data da extinção da Metalúrgica Duarte Ferreira, em 1997.

Nos períodos de maior expansão económica, a MDF chegou a empregar mais de 2600 pessoas nas suas diversas áreas, que incluíam a produção de máquinas e utensílios para lagares, agricultura, adegas, serrações e até construção naval e construção civil.

O projeto de instalação do museu resultou de uma parceria entre a Câmara Municipal de Abrantes, da Junta de Freguesia de Tramagal e do Grupo Diorama, de Joaquim Dias Amaro, contando com espaços expositivos e documentais daquela que foi uma das principais empresas metalúrgicas do país.

Museu MDF, em Tramagal (Abrantes), esteve em destaque na Croácia no Best Heritage 2019. Foto: CMA

O Museu MDF, inaugurado no Tramagal a 1 de maio de 2017, teve cerca de 9 mil visitantes nos dois primeiros anos. Além de conquistar o Prémio de Museu do Ano 2018, atribuído pela Associação Portuguesa de Museologia (APOM), foi ainda distinguido com uma menção honrosa na categoria “Investigação”, pelo trabalho coordenado pela jornalista Patrícia Fonseca e publicado no livro “1879-1997 | Metalúrgica Duarte Ferreira, uma história em constante metamorfose”.

O Museu Metalúrgica Duarte Ferreira representou Portugal na conferência “The Best in Heritage”, que decorreu entre os dias 25 e 27 de setembro de 2019 em Dubrovnik, na Croácia.

c/Mário Rui Fonseca

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome