Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Setembro 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tramagal: Arraial e Marchas populares assinalam hoje 262 anos da freguesia

Fundada a 24 de junho de 1754, a Freguesia de Tramagal, no concelho de Abrantes, assinala esta noite os 262 anos de elevação a Freguesia com um arraial e desfile de marchas populares, a decorrer no Largo dos Combatentes, a partir das 21:00.

- Publicidade -

A animação musical vai ser assegurada pelo grupo musical Toc`Abrir, cerca das 21:00. Ao que seguirá, cerca das 22:00, o tradicional desfile de marchas populares com a participação da Marcha da ARTRAM/UTIT (Associação de Reformados do Tramagal/Universidade da Terceira Idade), do Centro Social Pariquial Nossa Senhora da Oliveira, e a marcha do Jardim Escola João de Deus. Cerca das 23:h00 a música e o arraial regressam ao jardim de Tramagal, com os Toc’Abrir.

“O Tramagal está vivo, vamos ter três marchas a desfilar e será uma noite de arraial, de Santos Populares, uma noite que espera de muito calor, muito bonita e com muita animação”, destacou Vitor Hugo Cardoso, presidente da Junta de Freguesia de Tramagal.

- Publicidade -

Segundo adiantou o autarca, a freguesia está a fazer os preparativos para os 30 anos de elevação da aldeia de Tramagal à condição de Vila, efeméride que se assinalará dia 3 de julho, um domingo, e onde, assegurou, “vamos ter também um dia em cheio”.

“E no dia 9, realiza-se mais encontro de marchas organizado pela ARTRAM/UTIT, e em que vamos aqui um desfile de marchas oriundas de várias localidades e municípios da região”, adiantou, em evento a que a Junta de Freguesia de Tramagal se associa sendo um parceiro do evento.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome