Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Novembro 27, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tramagal | Apagão da MEO deixa clientes sem serviços no Natal e Ano Novo (C/VIDEO)

Os serviços da MEO são alvos de críticas em várias zonas de Tramagal, no concelho de Abrantes, tendo alguns dos habitantes relatado estarem sem televisão, telefone fixo e internet desde o dia 10 de dezembro. A quadra natalícia foi passada “sem nada” e a passagem de ano e dia de Ano Novo “vai ser uma tristeza”, contam, revoltadas. Contactado pelo mediotejo.net, o presidente da Junta de Freguesia de Tramagal diz que já enviou mails para a MEO a alertar para a gravidade da situação. “Nunca recebi uma resposta”, critica.

- Publicidade -

Bairro da Lamacheira, em Tramagal, é um dos afetados pela avaria desde o dia 10 de dezembro. Foto: mediotejo.net

“É de lamentar o serviço que a MEO presta nesta freguesia, com cerca de 4 mil habitantes, com um serviço muito lento e remodelação de linhas por fazer, sendo que as zonas da Lamacheira, Terra Nova e Crucifixo são as mais afetadas quando aparecem os tempos de chuva e aumentam as humidades”, disse Vitor Hugo Cardoso, tendo relatado que na última Assembleia de Freguesia foram vários os populares que ali foram manifestar o seu descontentamento e pedir ajuda ao executivo.

- Publicidade -

O presidente da Junta de Freguesia de Tramagal diz que já enviou mails para a MEO a alertar para a gravidade da situação. “Nunca recebi uma resposta”, critica.

“Já enviámos um mail à Meo a informar e a pedir resposta para os serviços na freguesia, mas até hoje nunca recebi uma resposta. A partir de dia 2 de janeiro vamos ter de voltar a insistir e a protestar pelo serviço deficiente que aqui prestam”, afirmou, tendo observado que também as empresas estão a ser prejudicadas devido aos alarmes que ficam desligados pela falta de serviço.

Lucinda Figueiredo, 76 anos, residente na zona da Lamacheira, disse estar sem telefone fixo, internet e televisão desde o dia 10 de dezembro, um serviço que lhe “faz falta para ligar ou receber chamadas” dos netos, filhos e familiares emigrados.

“Tem sido muito complicado passar o natal sem os serviços e agora ir passar outra vez o ano novo sem falar com ninguém da minha família”, lamentou Lucília Figueiredo. Foto: mediotejo.net

“Tem sido muito complicado passar o natal sem os serviços e agora ir passar outra vez o ano novo sem falar com ninguém da minha família”, lamentou, tendo relatado as despesas já efetuadas com os carregamentos de telemóvel.

Laurinda e Arsénio Estriga, casal de 70 e 72 anos, respetivamente, confirmou ter o mesmo problema, em avaria que decorre desde o dia 10 de dezembro, dia do temporal ‘Ana’. “Entre o dia 10 e 27 ficámos sem nada [tv, internet e telefone]. No dia 27 voltou e na sexta-feira foi-se tudo outra vez”.

Laurinda Estriga, 70 anos, confirmou ter o mesmo problema, em avaria que decorre desde o dia 10 de dezembro, dia do temporal ‘Ana’. Foto: mediotejo.net

Revoltada estava também Conceição Félix, 57 anos, que criticou a falta de respostas na reposição dos serviços e lamentou não poder ter os familiares perto de si, em casa, em altura de natal, ano novo, e férias escolares.

“Querem ver televisão, não tenho televisão. Vêm cá a casa e querem ir à internet, não tenho serviço. Quero fazer uma chamada não tenho telefone. É uma tristeza passarmos esta altura do ano sem nada. E da Meo não respondem, nem dão previsões. Não fazem nada. É uma tristeza e das grandes”, afirmou.

“Querem ver televisão, não tenho televisão. Vêm cá a casa e querem ir à internet, não tenho serviço. Quero fazer uma chamada não tenho telefone. É uma tristeza passarmos esta altura do ano sem nada”, lamenta Conceição Félix. Foto: mediotejo.net

Os habitantes contactados pelo nosso jornal continuam a esta hora a espreitar nervosamente o telefone, a televisão e a internet na esperança da reposição de serviços. Mas as esperanças já eram poucas ou nenhumas ao final da tarde deste domingo.

Vizinhos passam os dias a questionarem-se quando são repostos os serviços de televisão, internet e telefone. Foto: mediotejo.net

“Já não acredito que venha ninguém. É muito triste passar o natal e o ano novo sem serviços. Mas dia 2 [terça-feira] vou voltar a queixar-me, seja lá onde for”, assegurou Conceição. Entretanto, para não passar a noite de passagem ‘às escuras’, vou para casa da filha, para ter companhia.

Contactado pelo mediotejo.net, a chamada telefónica remeteu para o departamento de apoio técnico da MEO e esta revelou-se inconsequente, obtendo apenas dos serviços a informação que o tempo de espera poderia ser “superior ao habitual”.

A MEO é uma marca da Altice Portugal, e mantém no final de 2017 a liderança destacada nos serviços móveis, de acordo com o relatório que a ANACOM divulgou recentemente. Para o regulador do setor, a MEO lidera com 43,8% de quota de mercado, somando mais 0,6pp relativamente ao período homólogo de 2016 e mais 13,8pp do que o segundo operador.

Se a MEO é o operador de eleição dos portugueses, também o é em termos de insatisfação. Segundo o Portal da Queixa, no campo das empresas privadas, os operadores de telecomunicações, nomeadamente a Meo e a Nos, continuam a liderar as queixas dos consumidores. Em dezembro, a operadora da Altice registou 4.965 queixas e a Nos 3.607.

Este ano, a Segurança Social passou a liderar a lista das instituições públicas com mais queixas e a ser a quarta entidade com maior número de reclamações, atrás da Meo, da Nos e dos CTT – empresas que lideram o ranking.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

3 COMENTÁRIOS

    • Bom dia. Não é o único prestador de serviços mas foi só deste que as pessoas se queixaram na Assembleia de Freguesia realizada no dia 27 de dezembro. obrigado

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome