Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Novembro 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

“Trabalhar para uma aproximação cada vez maior entre eleitos e eleitores”, Hugo Costa

Decorreu na passada sexta-feira, 15 de outubro, no Cine-Teatro Paraíso em Tomar, a instalação da Câmara e Assembleia Municipal de Tomar. Após este ato, teve lugar a 1.ª sessão de assembleia, seguida da votação da lista para a nova Mesa, sendo a mais votada a lista do PS, que tive a honra de liderar, sendo eleito o novo presidente da Assembleia Municipal de Tomar (com 19 votos a favor contra 12 da lista oponente), a par de Fátima Duarte e Vasco Marques que aceitaram acompanhar-me na mesa.

- Publicidade -

Nas primeiras palavras proferidas como presidente da assembleia municipal de Tomar referi ser uma enorme honra ter eleito para o cargo e, obviamente, que agradeci a confiança. Saudei, neste momento, o Presidente da Assembleia Municipal cessante, Professor José Pereira, que convidei para se juntar a mim na condução dos trabalhos, sublinhando a forma como, ao longo de oitos anos, dirigiu esta Assembleia com entrega, dedicação e empenho no exercício desta nobre missão

O momento foi oportuno também para saudar, de forma democrática, todos os cidadãos que se candidataram a este Órgão e que se disponibilizaram, com tempo e ideias, para servir os interesses do concelho. Renovei, nesta noite, a promessa que fiz quando anunciei da minha à presidência da assembleia municipal em março: devolver a Tomar, tudo o que Tomar me deu, cidade onde nasci, cresci e vivo.

- Publicidade -

Ao longo destes quatro anos gostaria que a minha presidência fosse marcada pela transparência, lealdade institucional e escrutínio. Uma Assembleia Municipal onde deve ser dado relevo ao trabalho das Comissões que foram criadas para acompanhar dossiers de tão sobeja importância como a Saúde, Habitação, Educação ou o Ambiente, entre outros, e cujo trabalho tem que ser estimulado de modo a que propostas concretas venham a emergir.

Defendo igualmente uma Assembleia Municipal onde se dê relevo à participação dos mais jovens. Tenho consciência da importância de incentivar a aproximação dos mais jovens a este órgão, promovendo a assembleia municipal jovem e explicando o funcionamento da assembleia aos mais jovens nas escolas, de acordo com o seu grau de ensino. Envolver os jovens na cidadania é um trabalho que se faz no terreno, com persistência e consistência.

E anunciei que as Assembleias Municipais descentralizadas vão ser uma realidade, no sentido de fomentar uma aproximação cada vez maior entre eleitos e eleitores. As questões técnicas não podem ser desculpa. Devemos sair do Salão Nobre para as freguesias, auscultando de perto as dificuldades e desafios de quem espera de nós trabalho para a solução.

Do ponto de vista interno, e na senda das muitas propostas na campanha de todos os partidos, vou propor algumas alterações ao regimento em conferência de líderes, nomeadamente visando mais tempo de intervenção para os grupos municipais de menor dimensão; assembleias realizadas, por princípio, fora do período laboral; a constituição de uma comissão permanente e que a Câmara Municipal tenha tempo para intervir no PAOD – Período Antes da Ordem do Dia.

A nível de funcionamento, deve ser feita a solicitação junto da Câmara do Reforço de Orçamento da Assembleia Municipal. Mais meios e mais informação para todos. Os atos da Assembleia devem constar do site, mas simultaneamente, todos os eleitos devem possuir a informação do que acontece nas reuniões de executivo. 

A Assembleia Municipal deve ser uma assembleia cada vez mais próxima dos cidadãos e dotada de mais tecnologia, não esquecendo, porém, que temos um regimento que foi sendo atualizado e que Tomar é uma das poucas assembleias municipais na região com transmissão online, possibilitando ao cidadão que acompanhe os trabalhos em proximidade. Devemos realizar colóquios e conferências sobre temas chave para o concelho, dignificando o papel da Assembleia Municipal.

E, por fim, não devemos esquecer que vivemos um momento-chave com a oportunidade dos Fundos Comunitários e PRR, sendo que na assembleia municipal deve ser debatida a estratégia que queremos para o futuro do concelho.

Conto com todos para elevar o debate político em Tomar porque Tomar merece esse compromisso de todos nós. A todos agradeço, uma vez mais na confiança na condução deste desígnio. Vamos ao trabalho.

Deputado na Assembleia da República e membro das Comissões de Economia, Inovação e Obras Públicas e Habitação, é também membro da Comissão de Orçamento e Finanças. Diz adorar o Ribatejo e o nosso país. Defende uma política de proximidade junto dos cidadãos. Tem 38 anos, é de Tomar e licenciou-se em Economia pelo ISEG. É membro da Assembleia Municipal de Tomar e da Assembleia da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo. Tem como temas de interesse a economia, a energia, os transportes, o ambiente e os fundos comunitários.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome