Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Outubro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Torres Novas | Xanana Gusmão: Timor tem que seguir o exemplo dos municípios, não de Lisboa (c/vídeo)

O ex-Presidente da República e ex-Primeiro Ministro de Timor Leste, Xanana Gusmão, esteve em Torres Novas esta quarta-feira, 31 de maio, numa iniciativa organizada pelo ex-presidente da Câmara de Torres Novas, António Rodrigues. “Timor-Leste, uma plataforma económica na CPLP” reuniu empresários e autarcas da região, no objetivo de captar investimento para aquele país. Xanana Gusmão constataria que Timor-Leste tem que aprender com o exemplo de municípios como Torres Novas e não da grande cidade de Lisboa para ir ao encontro do seu desenvolvimento.

- Publicidade -

No seu discurso, Xanana Gusmão lembrou os anos que se seguiram à independência de Timor-Leste, em 2002, e do caminho que o país fez para se reconstruir de forma autónoma, com um conjunto de governantes que, admitiu, não tinham qualquer experiência nas áreas necessárias à governação de um país. Lembrou o carinho do povo de Portugal e do quanto tem sido bem recebido no país.

Xanana Gusmão e António Rodrigues mantêm uma grande amizade. Foto: mediotejo.net

- Publicidade -

Em termos de crescimento económico, Xanana Gusmão, que atualmente é Ministro do Planeamento e Investimento Estratégico, constatou que Timor-Leste tem que seguir mais o exemplo de organização de municípios como Torres Novas do que de cidades grandes como Lisboa, que têm uma dimensão muito difícil de equiparar para um país que tem cerca de um milhão de pessoas. Salientou assim as potencialidades de Timor como uma plataforma, “uma ponte” para a região onde se encontra inserido, no sul da Ásia, e da necessidade do país de criar emprego para que possa manter o crescimento e a paz.

Ao longo da sua intervenção, Xanana Gusmão não esqueceu a amizade com António Rodrigues, o ex-presidente torrejano que liderou durante 20 anos o município. Já António Rodrigues lembraria um Timor que conheceu em ruínas, de como cresceu nos últimos 15 anos e o quanto agora precisa de investimento na sua indústria, mas sobretudo na agricultura e no mar. “É muito longe?”, questionou ao público, “podemos lá voltar para ganhar dinheiro”.

Foto: mediotejo.net

Na conferência interveio também Salomé Rafael, da NERSANT – Associação Empresarial da Região de Santarém, que salientou o facto das empresas locais terem aumentando em 2% o volume de exportações. “Isto significa a tenacidade dos empresários”, frisou.

José Eduardo Carvalho, da Associação Industrial Portuguesa (AIP), recordou o facto de em 2002 ter saído de Timor apreensivo com o futuro daquele jovem país e do seu espanto, dez anos depois, ao constatar o seu desenvolvimento. “Xanana Gusmão assumiu uma posição integradora” e “um pragmatismo exemplar”, sublinhou. O responsável também constataria que “Timor não vale por si só mas pelo espaço económico em que está inserido”, sendo que até pequenas empresas tem conseguido ali algum sucesso, referiu.

Dos municípios da região estiveram presentes nesta conferência Alcanena, Vila Nova da Barquinha e Torres Novas.

 

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome