Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quarta-feira, Junho 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Torres Novas vai criar uma equipa municipal de médicos e enfermeiros para dar resposta às populações

Sem médicos em várias freguesias, outros tantos a entrar na reforma e sem previsões favoráveis de recolocação de novos clínicos, o município de Torres Novas decidiu avançar com um projeto próprio de financiamento de uma equipa de médicos e enfermeiros. A “Equipa para uma Vida Ativa” (EVA) vai percorrer as freguesias, visitar utentes vulneráveis e identificar problemas de saúde latentes.

- Publicidade -

A ideia foi apresentada na reunião de câmara de 4 de maio, terça-feira, pelo presidente Pedro Ferreira (PS), e aguarda o aval do Agrupamento de Centros de Saúde do Médio Tejo e da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo. Segundo o autarca, não se pretende aqui ultrapassar nenhuma entidade, mas dar resposta às lacunas do concelho ao nível de saúde, que se agravaram com a crise sanitária. O problema, conforme frisou, são os recursos humanos. 

O município ainda está a analisar as condições orçamentais necessárias, mas serão pelo menos 7 mil as pessoas com mais de 70 anos identificadas no concelho. É para esta fatia da população, que muitas vezes vive sozinha e perdeu qualquer apoio com a pandemia, o confinamento e a diminuição das respostas de saúde, que o projeto EVA é pensado.

- Publicidade -

“Não é para nos substituir aos médicos de família”, frisou Pedro Ferreira, sendo que a ideia passará por existir um trabalho em conjunto. No geral, o município quer financiar uma equipa de médicos e enfermeiros, contratados a empresas privadas, que percorra as freguesias a visitar a população vulnerável e identificando casos “problemáticos a precisar de assistência”.

Para além das localidades sem médicos, os médicos de família ligados aos pólos de Brogueira, Fungalvaz, Assentis e Chancelaria encontram-se de saída, referiu. A colocação de novos profissionais de saúde formados vai demorar, sem se saber exatamente os calendários em causa. “Neste meio tempo alguma coisa tem que ser feita”, referiu. “Não podemos ficar de braços cruzados”, vincou o autarca.

Reunião de câmara de Torres Novas de 4 de maio de 2021 Foto: mediotejo.net

“Tudo indica que poderemos avançar”, concluiu, considerando que as entidades de saúde aplaudem a ajuda que possa existir.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. É giro isto, mesmo na última assembleia municipal um deputado municipal do PS bajulou o executivo municipal agradecendo-lhes por todos os habitantes do concelho de Torres Novas terem médico de família… isto diz muito de quem fez estas declarações e de quem recebeu os elogios sem corrigir o mesmo… a assembleia municipal está gravada, qualquer um pode ir ver no youtube as mentiras ä descada desta gente…

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome