Torres Novas: Secretário de Estado do Ambiente reúne com autarcas

Ribeira da Boa Água. Foto: DR

O Secretário de Estado do Ambiente vai reunir esta quarta-feira, 3 de agosto, com os representantes de todos os partidos de Torres Novas, para debater a questão da poluição da Ribeira da Boa Água. A informação é avançada pelo Bloco de Esquerda, que se afirma expectante com as conclusões deste encontro.

PUB

Num comunicado, o Bloco de Esquerda refere que “se a Ribeira da Boa Água falasse teria muito para contar sobre os despejos de que é vítima e sobre quem os pratica. Mas a Ribeira não fala. Mas o seu sofrimento é visível. A Ribeira recebe efluentes não tratados de empresas, exala um cheiro nauseabundo, quase permanente, as águas são pastosas e a sua cor não engana. A Ribeira segue o seu curso e leva tudo para o Rio Almonda, que chegará ao Tejo, passando pela Reserva da Biosfera do Boquilobo”.

O Bloco de Esquerda salienta que “o problema não é novo” e que tem levado o tema a sucessivas reuniões e assembleias, para além de perguntas “muito concretas” ao Ministério do Ambiente sobre o envolvimento de fábricas do concelho na poluição. “As respostas foram insuficientes. Ainda esta semana e após ter ocorrido um atentado contra o ambientalista que realizava filmagens em terreno público, a Comissão Parlamentar de Ambiente pediu, com carácter de urgência, esclarecimentos ao Governo”.

PUB

“Foi entretanto marcada para quarta-feira, dia 3 de agosto a reunião dos autarcas torrejanos (representando todos os partidos) com o Secretário de Estado do Ambiente. A reunião esteve marcada para a semana passada, mas foi desmarcada unilateralmente, numa atitude que para o Bloco de Esquerda configura desrespeito pelos autarcas do concelho de Torres Novas”, salienta.

Na semana passada, recorde-se, a questão da poluição nesta ribeira originou confrontos entre o ativista do ambiente Arlindo Marques e dois proprietários da Fabrióleo, empresa acusada de poluir este caudal.

PUB

“Os valores que estão em causa – a defesa do ambiente, a saúde, a qualidade de vida e até outras atividades económicas, como a agricultura, o comércio e restauração sobrepõem-se aos interesses lucrativos de alguns que, sem pudor, fazem da Ribeira da Boa Água e do Rio Almonda o seu esgoto particular”, continua.

“No final do ano passado, a Câmara e Assembleia Municipal, decidiram, por unanimidade, negar a declaração de interesse municipal à Fabrióleo. Passado meio ano, a ausência de atuação das autoridades competentes é inadmissível. Espera-se que da reunião que se realizará esta semana no Ministério do Ambiente saiam medidas muito concretas.”

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here