Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Agosto 3, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Torres Novas: Recusada proposta da CDU de parceria com a Escola de Polícia

Apresentada inicialmente durante a reunião camarária pública de 2 de fevereiro, a proposta da CDU para uma maior colaboração entre a Escola Prática de Polícia (EPP) e a Câmara de Torres Novas foi recusada esta sexta-feira, 19 de fevereiro, por maioria. O tema mereceu o voto contra do PS e a abstenção do PSD e do Bloco de Esquerda.

A proposta já havia obtido alguns comentários do executivo PS durante a reunião de 2 de fevereiro, referindo-se que já existiam várias colaborações da parte do município com a EPP. Na declaração apresentada pela vereadora Ana Filipa Rodrigues (CDU) declarava-se que “a Escola Prática de Polícia (EPP) funciona em Torres Novas desde Setembro de 1984, assumindo-se como uma importante instituição de ensino com um elevado número de alunos e corpo docente permanente, que porta um conhecimento que interessa potenciar e transportar para a sociedade civil, podendo e devendo a Câmara Municipal de Torres Novas (CMTN) assumir um papel primordial nessa ligação. Contudo, a CDU – Coligação Democrática Unitária constata que as relações entre a CMTN e a EPP têm-se desenvolvido de forma casuística, baseando-se na cedência de instalações de parte a parte”.

A CDU entendeu assim que “ tal situação é muito redutora e que é possível aproveitar o conhecimento instalado, de modo a promover um conjunto de iniciativas – seminários, debates, visitas, colóquios, etc. – programadas ao longo do ano. Este novo quadro proposto pela CDU seria não só benéfico para a sociedade civil, mas também para o Conselho Municipal de Segurança, que não tem aproveitado este recurso por mera falta de visão política e estratégica de quem tem a responsabilidade da sua direção”.

A proposta para uma reunião com a direção da EPP de forma a criar uma parceria com a Câmara de Torres Novas seria recusada a 19 de fevereiro.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome