- Publicidade -

Torres Novas | Pedro Ferreira (PS) recandidata-se à Câmara Municipal (c/áudio)

A comissão política concelhia do PS de Torres Novas reuniu na sexta-feira, 19 de março, e elegeu Pedro Ferreira como o seu candidato a mais um mandato como presidente de Câmara Municipal. Será a terceira vez que Pedro Ferreira, 69 anos, encabeça a corrida dos socialistas ao município torrejano.

- Publicidade -

Segundo nota de imprensa da concelhia, “a eleição processou-se por voto secreto dos membros da Concelhia e Pedro Ferreira colheu a unanimidade dos votos”.

Em declarações ao mediotejo.net, Pedro Ferreira comentou que, face ao sucesso destes dois mandatos, entendeu reunir condições para se recandidatar. Manifestando-se “entusiasmado, como se fosse a primeira vez”, admite que um próximo mandato vai ter que lidar com as consequências da crise pandémica. Será preciso portanto um “especial cuidado” na questão social, mas também na implementação de novas empresas.

- Publicidade -

 

O equilíbrio financeiro do município é para Pedro Ferreira uma “coroa de glória”, considerando que a própria oposição terá que reconhecer esse trabalho de gestão económica. O programa do PS e a lista à Câmara serão apresentados a seu tempo, referiu, preferindo não adiantar mais pormenores, apesar de admitir algumas novidades.

“Continuarei a dar o meu melhor, consciente que será o meu último mandato”, afirmou o autarca, que desempenha funções na Câmara desde 1993, quando foi eleito, então, como vereador.

Jantar no Palácio dos Desportos em 2017 reuniu cerca de 700 pessoas. Foto: mediotejo.net

A pandemia não deixa espaço a que se programe grandes ações de campanha eleitoral, mas o autarca espera que haja “respeito” no processo, nomeadamente entre opositores.

Sobre a eventual candidatura do ex-presidente da Câmara socialista, António Rodrigues, de quem Pedro Ferreira foi vice-presidente durante duas décadas, o candidato do PS às eleições deste ano afirma não estar preocupado, desejando boa sorte ao eventual concorrente.

“Acho que ele deve candidatar-se”, comentou, “depois o povo saberá escolher”.

Em 2017, Pedro Ferreira não só venceu as eleições com 51,27% dos votos, como reforçou a maioria, obtendo mais um vereador (ficaram cinco). O PSD (14,85%) e o BE (14,47%) terminaram quase empatados, separando-os apenas 67 votos, e elegendo cada partido um vereador. Quaresma de Oliveira (PSD) e Helena Pinto (BE) têm feito nos últimos quatro anos a oposição possível num município com uma tradição socialista de quase três décadas e consecutivas maiorias.

Para as eleições deste outono apenas é conhecido o candidato do PSD, Tiago Ferreira, que anunciou recentemente a sua candidatura. Continuam assim por divulgar os cabeças de lista do BE, da CDU e do CDS.

O histórico presidente de Torres Novas, António Rodrigues, apresentou-se em julho na liderança do movimento cívico, independente, P’la Nossa Terra, mas até ao momento não anunciou uma candidatura, não obstante o tema seja constantemente mencionado.

No facebook está criada uma página designada “Chega Torres Novas” com alguma atividade, mas também não há qualquer informação sobre um candidato torrejano.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- Publicidade -