- Publicidade -

Torres Novas | PCP celebra 100 anos com iniciativa na Praça dos Claras

O Partido Comunista Português (PCP) promove este sábado, dia 6 de março, às 15h00, na Praça dos Claras, em Torres Novas, uma iniciativa para assinalar o 100º aniversário da sua fundação. Esta é uma das 100 ações que estão a decorrer por todo o país e que visam celebrar o centenário do PCP.

- Publicidade -

Entre os oradores vão estar Rui Fernandes, da Comissão Política do Comité Central, Nuno Guedelha, da Comissão Concelhia de Torres Novas, e Sérgio Rodrigues, da Juventude Comunista Portuguesa.

Comunistas comemoram centenário com 100 ações na rua no sábado

- Publicidade -

O PCP vai comemorar, no sábado, 100 anos em 100 ações de rua em vários pontos do país, dia em o líder comunista, Jerónimo de Sousa, participará numa concentração em Lisboa.

“100 anos, 100 ações”, “umas mais singelas, outras mais temáticas”, como as definiu Jerónimo, são as iniciativas com que o partido substituiu, devido à pandemia, o comício do centenário, que foi cancelado.

O Campo Pequeno, em Lisboa, é um local simbólico para o partido, dado que foi aí que se realizou o primeiro grande comício do PCP a seguir ao 25 de Abril, com Álvaro Cunhal (1913-2005), o líder histórico dos comunistas portugueses.

Agora, espalhadas pelo país, e anunciadas na edição de hoje do órgão central do partido, Avante, haverá um “vasto conjunto de iniciativas, centrado nos problemas do país, dos trabalhadores e do povo”, sob o lema da “Liberdade, Democracia, Socialismo”, em defesa de “direitos, a melhoria das condições de vida e o progresso social, contra a exploração e o empobrecimento”.

As comemorações do centenário do partido vão prolongar-se até 2022, e em fevereiro o PCP lançou o livro “100 anos de luta ao serviço do povo e da pátria pela Democracia e o Socialismo”, de 300 páginas, que ilustra, em mais de 900 fotografias e imagens, momentos marcantes da história dos comunistas, das greves nos anos 1900 até à “revolução dos cravos”.

O surto epidemiológico da covid-19 levou a uma redução das agendas dos líderes dos partidos, com mais ações à distância ou com menos pessoas, e até o cancelamento de congressos partidários.

Portugal está a viver pela segunda vez, em menos de um ano, um confinamento geral, e sob estado de emergência devido à crise epidémica, o que não limita a atividade política nem a realização de eleições, como aconteceu com as presidenciais de 24 de janeiro.

O Partido Comunista Português (PCP) foi criado em 06 de março de 1921, em Lisboa, e teve, ao longo da sua história, cinco secretários-gerais, tendo Álvaro Cunhal sido o mais marcante, durante 32 anos, entre 1961 e 1992.

O primeiro, de 1921 a 1929, foi José Carlos Rates, seguindo-se Bento Gonçalves, de 1929 a 1942. Da década de 1940 a 1961 houve um período sem secretário-geral, antes de Cunhal ser escolhido. Carlos Carvalhas foi líder do partido de 1992 e 2004, ano em que é escolhido Jerónimo de Sousa.

c/LUSA

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- Publicidade -