Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Setembro 20, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Torres Novas | Paulo Vakulyuk (CNTN) disputa Europeu de Juniores em natação (C/ÁUDIO)

Com o objetivo de participar no Campeonato da Europa Júnior, viajam para Itália este domingo, dia 4 de julho, seis nadadores portugueses, entre eles Paulo Vakulyuk, atleta do Clube de Natação de Torres Novas (CNTN).

- Publicidade -

Paulo Vakulyuk, 18 anos, apurou-se para o Campeonato Europeu de natação ao bater o recorde pessoal nos 100 metros mariposa no final de maio, em Rio Maior, num dia histórico para o Clube de Natação de Torres Novas.

“O Paulo tornou-se o primeiro nadador do CNTN a obter mínimos para um Campeonato da Europa de Juniores”, destacou o treinador Pascoal Mendes, sendo que o evento vai decorrer em Roma, de 6 a 11 de julho. O objetivo do atleta torrejano é bater o recorde pessoal.

- Publicidade -

ÁUDIO: PASCOAL MENDES, TREINADOR CNTN:

 

Paulo Vakulyuk, com detém as marcas de 55″18 nos 100 mariposa e de 25″03 nos 50 metros mariposa, integra assim a seleção nacional de juniores nos Campeonatos de Europa de Juniores e vai competir nos 50 e 100 metros mariposa e nos 50 metros livres.

A seleção nacional é composta por Carolina Fernandes, Diogo Ribeiro, Duarte Castro, Gustavo Ribeiro, Mariana Cunha e Paulo Vakulyuk. O enquadramento técnico é garantido pelo Diretor Técnico Nacional Júnior, Daniel Marinho, e pelos treinadores Rui Santos e Vasco Lopes. A comitiva lusa fica concluída com a fisioterapeuta Joana Carvalho.

A seleção nacional é composta por Carolina Fernandes, Diogo Ribeiro, Duarte Castro, Gustavo Ribeiro, Mariana Cunha e Paulo Vakulyuk. Foto: CNTN

O Campeonato da Europa de Juniores realiza-se em Roma entre os dias 6 e 11 de julho.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome