Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Julho 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Torres Novas: “Músicos” une arte de José Vassalo e bandas filarmónicas locais

A Praça do Peixe torna-se no espaço de encontro entre a arte de José Vassalo e a música local. A exposição “Músicos” é inaugurada esta sexta-feira, dia 14, e até dia 27 de novembro as obras do pintor podem ser apreciadas ao som de oito bandas filarmónicas do concelho.

- Publicidade -

Apreciar arte e música no mesmo local é a sugestão da iniciativa que tem início na Praça do Peixe a partir das 21h30 desta sexta-feira. O local acolhe a inauguração da exposição “Músicos” de José Vassalo – cuja família materna está fortemente associada ao tecido empresarial torrejano desde o início do século XIX – e o primeiro concerto do ciclo que reúne oito bandas filarmónicas do concelho.

Os trabalhos de pintura do artista criados nos intervalos da vida de professor universitário, investigador científico e administrador das empresas familiares ficam patentes até dia 27 de novembro e são acompanhados pela música em oito datas diferentes. O primeiro concerto, pela Sociedade Filarmónica Lealdade União Ribeirense, realiza-se no momento da inauguração e é o único marcado para as 21h30.

- Publicidade -

As restantes bandas filarmónicas atuam às 16h00, hora em que a Praça do Peixe recebe ainda este mês a Sociedade Filarmónica União Pedroguense, a 16, a Sociedade Filarmónica Euterpe Meiaviense, a 23, e a Banda Operária Torrejana, a 30. O programa de novembro abre com o concerto do Centro Recreativo e Musical do Outeiro Grande no dia 6 e continua até ao final do mês com a Sociedade Filarmónica União Matense, a 13, a Sociedade Musical União e Trabalho, a 20, e a Sociedade Velha Filarmónica Riachense, a 27.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here