Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Outubro 19, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Torres Novas | Município prepara concurso para novo diretor artístico do Virgínia

O programa do primeiro trimestre de 2019 do Teatro Virgínia foi assegurado pelos serviços municipais da Câmara de Torres Novas, depois da saída do diretor artístico Rui Sena em outubro, mas o município já está a preparar um concurso para escolher novo responsável. Este sábado, 15 de dezembro, o programa cultural foi tornado público, com os bilhetes para o espetáculo de Pedro Abrunhosa, a 11 e 12 de janeiro, já quase esgotados.

- Publicidade -

No âmbito do anúncio da programação, o presidente da Câmara de Torres Novas, Pedro Ferreira, afirmou à Lusa que foi iniciado o procedimento para a escolha de um novo programador, salientando que a programação apresentada “não desvirtua o trabalho que tem vindo a ser feito e mostra a vontade de continuar a manter a qualidade e diversidade” da oferta cultural do concelho.

A mesma informação foi avançado pela vereadora da cultural, Elvira Sequeira, ao mediotejo.net, adiantando que Rui Sena deixou a programação praticamente completa, mas que já foi responsabilidade dos serviços municipais as contratações de Áurea, Paulo de Carvalho e a peça de teatro “O Deus da Carnificina”. A responsável manifestou-se assim bastante satisfeita pela capacidade de trabalho da equipa municipal.

- Publicidade -

Mas não obstante o município ter dado conta do recado, está a ser preparado o caderno de encargos para contratar um novo diretor artístico. “Queria que este concurso fosse diferente”, comentou a vereadora, lembrando que o anterior implicou um convite a várias entidades e que agora se poderá optar por um concurso público. Para já, ainda não está nada definido.

Neste trimestre o município vai apostar ainda numa lona no exterior do Teatro Virgínia, mostrando os cabeças de cartaz, por forma a chamar a atenção do público. A vereadora frisou que o “teatro não está vazio” e que se vive atualmente um período de transição.

c/LUSA

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome