Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Agosto 6, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Torres Novas | Município aprova orçamento de 31 milhões para 2017

O executivo municipal de Torres Novas aprovou na segunda-feira, 31 de outubro, o orçamento municipal para 2017, no valor de cerca de 31 milhões de euros. O enfoque do documento está sobretudo nas obras públicas e em vários projetos financiados pelos programas comunitários.

O saneamento atingir os 75% de cobertura, promovido pelas Águas do Ribatejo, é um dos grandes objetivos para 2017. Vai-se ainda aumentar o apoio municipal a diversas áreas, como o empreendedorismo, a promoção da prática cultural e desportiva, a melhoria da reposta à saúde pública, promoção do concelho ou a preservação do meio ambiente (mais 1 milhão de euros que em 2016). O Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) acolhe projetos que atingem os 8 milhões de euros. Um ano visto com novos desafios, constatou o presidente, Pedro Ferreira, após recordar que grandes obras como o Convento do Carmo ou o Almonda Parque se encontram resolvidas.

O Orçamento mereceu um comentário de todas as forças políticas, com Henrique Reis (PSD) a abster-se e Ana Filipa Rodrigues (CDU) e Helena Pinto (BE) a votarem contra. Ana Filipa Rodrigues intitularia o documento de “uma lista de espera”, dadas as imensas obras que aguardam financiamento e os programas previstos para a sua execução. Já Helena Pinto salientou a prioridade que deveria estar a ser dada à requalificação de estradas e ao ambiente, propondo a criação de um Gabinete próprio para esta área. Ambas as autarcas criticaram a gestão socialista do município e as prioridades que estão a ser tomadas, pelo que votaram contra.

Já Henrique Reis lamentou que o concelho esteja a ficar sem “identificação”. “Este orçamento é um orçamento pouco ambicioso, com obras que mereciam outro enquadramento”, refletiu.

Na resposta aos três vereadores da oposição, Pedro Ferreira respondeu a algumas dúvidas, explicando algumas das prioridades assumidas. Acabaria por lembrar o Plano de Saneamento Financeiro que ainda tem que ser respeitado.

O orçamento foi aprovado com dois votos contra, uma abstenção e quatro votos a favor.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome