Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Agosto 4, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Torres Novas | Mercadona quer instalar base logística na fronteira com Alcanena

Os projetos de investimento da Decathlon e da Mercadona em Torres Novas “não morreram” e são “muito importantes”, garantiu o presidente da Câmara Municipal na reunião do executivo do dia 12. Pedro Ferreira (PS) esclareceu que o objetivo da marca espanhola é a instalação de uma unidade logística de distribuição na zona da Zibreira, a abranger terrenos dos concelhos de Torres Novas (na entrada norte do concelho) e Alcanena.

- Publicidade -

A área a ocupar pela Mercadona ronda os 35 hectares, a maior parte do lado de Torres Novas, cujo terreno já está classificado para utilização comercial, estando também do lado de Alcanena reunidas as condições, com a suspensão parcial do Plano Diretor Municipal aprovada para aquela área em junho de 2020 pela Assembleia Municipal.

O autarca disse ser “um processo moroso, longo e que está longe de estar sedimentado”, mas mostra-se esperançado no investimento.

- Publicidade -

O presidente da Câmara de Torres Novas lembrou a deliberação tomada por unanimidade, em fevereiro de 2020, pela Comunidade Intermunicipal Médio Tejo na qual se “reconhece que este investimento vem ao encontro da estratégia do desenvolvimento socioeconómico para este território do Médio Tejo, nomeadamente, na dinamização da designada Porta Norte de Lisboa (nó de A1 / A23)”.

Nessa deliberação, a CIMT e os Municípios de Torres Novas e Alcanena em particular, “manifestam a sua disponibilidade em criar as condições a curto prazo, para a concretização deste projeto, disponibilizando-se ainda para o acompanhamento ao investidor que garanta a implementação e manutenção deste projeto ou outros associados.”

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome