Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Setembro 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Torres Novas | Maioria PS aprova contas em Assembleia Municipal e destaca equilíbrio financeiro

A Assembleia Municipal de Torres Novas aprovou na sua sessão de 30 de junho as contas de 2020. Num ano atípico, que só funcionou normalmente durante dois meses, como destacou o presidente Pedro Ferreira (PS), foi possível manter algum equilíbrio financeiro. A dívida total ficou nos 10 milhões, sendo que se registou um saldo de gerência positivo de 2,7 milhões.

- Publicidade -

O tópico de Prestação de Contas e Relatório de Gestão do exercício de 2020 foi introduzido por Pedro Ferreira, que fez uma análise às dificuldades sentidas, com a pandemia a dominar o plano orçamental. Houve assim, frisou, mais despesa corrente, nomeadamente como setores como a Proteção Civil, Saúde, Ação Social e apoios às empresas, sem esquecer os investimentos em informática e a obrigatoriedade de teletrabalho. “Foram dispêndios muito significativos”, salientou.

A receita caiu, não só devido às várias isenções de taxas, rendas e os vales distribuídos, como no Natal, mas também porque não houve espetáculos no Teatro Virgínia e eventos de variada natureza dos equipamentos municipais. A este respeito, adiantou o presidente, o município ainda assim pagou parte dos contratos culturais que já havia realizado, permitindo algum apoio aos artistas.

- Publicidade -

O ano de 2020 foi também ano de obras, com um investimento de 3,8 milhões na reabilitação de centros históricos, nomeadamente com pavimentações e melhoria de acessibilidades em todo o concelho. Foram ainda investidos 19 milhões na melhoria da qualidade dos serviços aos munícipes, enumerou, entre várias alíneas apresentadas.

O presidente terminou a referir que foi possível manter o equilíbrio financeiro, não obstante a receita se tenha ficado pelos 80% do previsto, em 32 milhões de euros. A dívida total encontrava-se no final do ano nos 10 milhões de euros, com 9 milhões relacionados com empréstimos. O resultado líquido do ano é de 2,7 milhões de euros.

Na votação, o PSD referiu que se iria abster, por não concordar na totalidade com as opções do executivo PS. A CDU considerou que a execução do orçamento ficou aquém das expectativas, o que comprovava muitos dos votos contra da bancada ao longo do ano, reprovando assim as contas. Já o BE apontou a incapacidade de gestão socialista e falta de planeamento, também votando contra.

Deste modo, apenas o PS votou favoravelmente a prestação de contas de 2020, após uma longa exposição em que se frisou o equilíbrio financeiro do município.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome