Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Trincanela

Domingo, Julho 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Trincanela

Torres Novas inaugura monumento ao dador de sangue

O monumento ao dador de sangue, implantado na rotunda da avenida Manuel de Figueiredo, junto ao jardim Maria Lamas, foi inaugurado a 1 de outubro. A obra, da autoria de José Coêlho, pretende assinalar o 25º aniversário da Associação de Dadores de Sangue de Torres Novas, celebrado em 2015, e que vê agora essa antiga aspiração de ver erguido em Torres Novas um monumento alusivo à dádiva de sangue a ser concretizada, tendo o município suportado integralmente os custos.

- Publicidade -

A escultura é feita à base de ferro e, no centro, tem suspensa uma gota, pintada a vermelho, que simboliza o sangue.

Na cerimónia de inauguração, abrilhantada pela banda da Sociedade Velha Filarmónica Riachense, ouviram-se os discursos da presidente da Associação de Dadores de Sangue de Torres Novas, Filomena Luz, do presidente do Instituto Português do Sangue e da Transplantação, Hélder Trindade, e do presidente da Câmara Municipal local, Pedro Ferreira, que unanimemente destacaram a importância desta homenagem a todos os dadores, que “merecem ver estimulado o seu espírito de solidariedade e reconhecido o seu voluntarismo, incentivando as pessoas a cuidarem umas das outras e a promoverem a coesão comunitária. Doar sangue é pensar no outro, é salvar vidas”, frisaram.

- Publicidade -

A comitiva seguiu a pé até à sede da associação, situada na avenida João Martins de Azevedo, onde teve lugar um convívio entre os presentes e foi servido um porto de honra assinalando este dia de festa para os dadores de sangue torrejanos.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here