Torres Novas | Homem de 62 anos detido por violência doméstica

O Comando Territorial da GNR de Santarém, através do Núcleo de Investigação e Apoio a Vitimas Específicas (NIAVE), deteve a 15 de outubro um homem de 62 anos por violência doméstica e posse de arma proibida no concelho de Torres Novas. O indivíduo foi condenado a usar pulseira eletrónica.

PUB

No âmbito da investigação, os militares apuraram que o suspeito agrediu física e psicologicamente, de forma reiterada, a sua mulher de 52 anos, durante os cerca de 20 anos de relacionamento, avança informação da GNR. Após a vítima terminar a relação há cerca de cinco anos, o suspeito começou a persegui-la e aterrorizá-la com ameaças de morte constantes, aludindo às diversas armas de fogo que tinha em sua posse, nunca aceitando a separação.

Os militares deram cumprimento a um mandado de detenção, um de busca domiciliária e dois em veículos. No total apreenderam: duas espingardas caçadeiras de calibre 12, 44 cartuchos de calibre 12, duas espadas de ornamentação com lâmina de 48 centímetros de comprimento, três armas de caça submarina com arpão, cinco foices, três facas, um machada.

PUB

O detido foi presente ao Tribunal Judicial de Santarém, tendo-lhe sido decretada a medida de coação de proibição de contacto com a vítima por qualquer meio, monitorizado através de pulseira eletrónica.

A ação contou com o apoio da Polícia de Segurança Pública.

PUB

PUB
Cláudia Gameiro
Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).