Torres Novas | GNR levanta auto à Renova mas pasta de papel não será tóxica

A espuma testemunhada na sexta-feira e no sábado no rio Almonda era densa. Foto: mediotejo.net

*texto de Cláudia Gameiro e Sónia Leitão

PUB

As descargas de pasta de papel ocorreram no fim-de-semana e o mediotejo.net confirmou junto do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da GNR que foi levantado um auto de contra-ordenação à Renova na segunda-feira, dia 20, depois de elementos desta unidade se terem deslocado às instalações da fábrica.

Na sexta-feira, dia 17, uma falha na produção da Renova levou a uma descarga de pasta de papel no rio Almonda. O mediotejo.net contactou o SEPNA da GNR depois de receber a denúncia de Maria Helena Pereira, uma moradora vizinha da fábrica, tendo este serviço deslocado os seus elementos à nascente do Almonda, onde nada encontrou de suspeito (de recordar que a Renova tem duas fábricas na Zibreira, uma das quais junto à nascente). Após a recolha de mais informações, voltou ao rio, tendo encontrado ainda vestígios da espuma branca da pasta de papel.

PUB

Segundo fonte do SEPNA, a equipa tomou conhecimento de uma “pequena avaria” e levantou o respetivo auto de contra-ordenação na segunda-feira, que será enviado à Agência Portuguesa do Ambiente (APA). É à APA que caberá fazer as restantes diligências de análise. Também o Ministério do Ambiente foi alertado pela Quercus depois de um dirigente desta associação ter encontrado vestígios no local no domingo, dia 19, onde se deslocou após o contacto do mediotejo.net.

O mediotejo.net contactou ainda o ambientalista Francisco Ferreira, presidente da Zero – Associação Sistema Terrestre Sustentável, que esclareceu que a descarga de pasta de papel “não é tóxica”, no sentido que não provocará um envenenamento. Os seus efeitos são mais físicos, de “afetação” das margens e do leito do rio com a matéria sólida instalada. “Aquilo depois pode ser um alimento para muitos organismos e ao degradar-se pode trazer problemas”, explicou, nomeadamente de falta de oxigénio no rio. Porém a situação seria mais grave se decorresse no verão, constatou.

PUB

O casal que fez a denúncia será recebido pela Renova na quinta-feira, dia 23, tendo a empresa mostrado disponibilidade para explicar a origem da descarga no rio Almonda.

O rio Almonda tem sido afetado sucessivamente por problemas ambientais e os níveis de poluição são tão elevados que ameaçam já a manutenção da classificação do Paul do Boquilobo como Reserva da Biosfera da Unesco.

Impactos da pasta de papel no ambiente

O que é pasta de papel? Em termos simples, é a celulose libertada da madeira, por meio do cozimento desta matéria-prima. A pasta resultante deste processo é posteriormente lavada, numa operação com vários estágios, por forma a limpar os elementos orgânicos e químicos restantes. Esta é, basicamente, a origem do papel.

Quais as possíveis consequências da pasta de papel no ambiente? A produção de papel é conhecida por ter fortes impactos no meio ambiente, mas sobretudo pelo corte de árvores e pela grande utilização de água no processo. Os produtos químicos estão presentes na cozimento e no branqueamento do papel.

Segundo Francisco Ferreira, presidente da associação ambiental Zero, esta descarga de pasta de papel “não é tóxica” mas poderá diminuir o nível de oxigénio no rio.

PUB

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here