Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Julho 29, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Torres Novas: Feira de São Gregório regressa até 27 de março

Entre 11 e 27 de março, decorre em Torres Novas a conhecida Feira de São Gregório, ou feira de março, junto ao Almonda Parque. A feira conta com áreas dedicadas aos equipamentos de diversão, bens alimentares e ao artesanato local e étnico. No fim-de-semana de Páscoa decorre ainda a primeira Exposição de Viaturas Clássicas de Torres Novas, promovida pelo grupo torrejano Trancobicoses.

- Publicidade -

A Feira decorre de segunda a quinta, das 12h às 20h, às sextas e sábados, das 12h às 24h e aos domingos, das 10h às 22h. A exposição automóvel, dias 25, 26 e 27, vai situar-se no piso -1 do Almonda Parque. As entradas são gratuitas e o visitante pode observar cerca de uma centena de viaturas, entre automóveis e motas de modelos clássicos.

A Feira de São Gregório deverá ter sido instituída ainda no século XVI, logo após a fundação de um convento no rossio do Carrascal, em Torres Novas, em 1558, dedicado a São Gregório Magno (antigo monge romano que chegou a papa da igreja católica no final do séc. VI). Esta feira de março começou a realizar-se no dia 12, algures na segunda metade do séc. XVI, e primeiramente apenas nessa data, por ter sido o último dia do pontificado de Gregório Magno como papa. Mais tarde, a duração da feira seria alargada para três dias.

- Publicidade -

Era inicialmente uma feira franca, não havendo lugar ao pagamento de terrados ou outro tipo de impostos, mas logo no início do séc. XVII a igreja e o convento conseguiram, por decreto real, que a câmara municipal ficasse obrigada a pagar-lhes anualmente 4000 réis pelo terrado. Mas, passados poucos anos, a câmara deixou de pagar essa quantia, alegando que a feira era franca e que não se cobrava qualquer imposto aos feirantes. Em 1840, por decisão camarária, a feira de março deixaria definitivamente de ser uma feira franca, ao mesmo tempo que veria crescer a sua duração.

Durante séculos a feira realizou-se sempre no rossio do Carrascal, também designado rossio do Carmo, para em meados do século XX ter passado a sediar-se no Rossio de São Sebastião, na parte alta da cidade. Nos últimos anos tem sido implantada em variados locais da cidade, nomeadamente nos terrenos anexos ao Almonda Parque, em pleno centro da cidade.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome