Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Maio 8, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Torres Novas | ‘Fake’, de Inês Barahona e Miguel Fragata, sexta-feira no Teatro Virgínia

O Teatro Virgínia, em Torres Novas, retoma a sua atividade esta sexta-feira, dia 23 de abril, com a peça de teatro «Fake», de Inês Barahona e Miguel Fragata, num espetáculo agendado para as 19:00.

- Publicidade -

«Fake» gravita em torno da figura de Norma B.: uma famosa escritora de romances policiais. Na sua bibliografia, encontra-se um título curioso: «Como Assassinar O Seu Marido», a história de uma mulher que, como o próprio nome indica, não termina sem que o seu marido seja assassinado. É esse título que lhe traz notoriedade, pela circunstância de alguns anos depois, Norma ser detida, acusada pela misteriosa morte do seu próprio marido – um famoso professor de culinária.

Mesmo antes de poder pronunciar-se, Norma é julgada publicamente. A sua obra é a prova irrefutável da sua culpa. Os textos escritos por si para dar voz às suas personagens, às suas criaturas, são imputados à criadora. Os seus movimentos mudos, escrutinados em todas as redes sociais.

- Publicidade -

«Fake» explora as tensões entre a verdade e a mentira, informação e desinformação, crenças individuais, coletivas e a nossa propensão para acreditar nos preconceitos que carregamos.

Os bilhetes para o espetáculo têm o custo de 10€ (sendo aplicáveis descontos) e podem ser adquiridos na bilheteira local (de segunda a sexta-feira das 15:00 às 18:30), nos pontos de venda Fnac e Worten ou em www.bol.pt. Mais informações AQUI

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome