Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Setembro 19, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Torres Novas | Fadista a residir no Canadá entre os nomeados dos prémios internacionais de música lusodescendente

Encontram-se a decorrer até dia 20 de agosto as votações online para escolher os nomeados do Prémio do Público (People’s Choice) do International Portuguese Music Awards. Entre os selecionados está a música “Senhora do Xaile Preto”, da fadista Marta Raposo, uma portuguesa com raízes em Torres Novas e Alcanena a residir no Canadá. A música encontra-se também entre os quatro nomeados finais da categoria “Fado”.

- Publicidade -

O IPMA é um concurso de música que premeia o trabalho de artistas internacionais com ascendência lusa. Entre as várias categorias a concurso está o People’s Choice Award, destinado a distinguir novos singles, com base numa votação pelo público em geral na internet.

Até dia 20, há meia centena de músicas na corrida, entre as quais o “Senhora do Xaile Preto” de Marta Raposo.

- Publicidade -

Nascida em Torres Novas, mas com ligações também a Alcanena, Marta Raposo emigrou para Montreal (Canadá) aos nove anos. É licenciada em tradução, com formação profissional em administração em jornalismo. Começou a cantar aos 18 anos numa banda de música pop, tendo-se iniciado no fado um ano mais tarde.

Segundo informação solicitada junto da artista, esta é uma voz conhecida entre a comunidade portuguesa de Montreal, tendo sido a primeira voz a levar o fado ao Parlamento canadiano em junho de 2016, por ocasião da primeira comemoração oficial do dia de Portugal no Canadá.

Sobre a fado que tem em competição, Marta Raposo adianta ao mediotejo.net que a canção lhe foi oferecida por Carlos Heitor da Fonseca, com letra de Manuel Manços Assunção Pedro, “por altura do centenário de Amália Rodrigues, com autorização para gravá-la. Propus o tema ao Herman Alves (oriundo de São Bento), que produziu os meus mais recentes temas (Hermedia Publishing), e foi através dele que tivemos a colaboração de Wallace Oliveira (Brasil), Khaly Angel (Cabo Verde), Rob Leonardo (Estados Unidos) e Richard Bastarache (Montreal).

O tema foi gravado em Montreal e todo o trabalho de mixagem e masterização foi feito em Cabo Verde e Estados Unidos”. 

“Senhora do Xaile Preto” está também entre os quatro nomeados para a categoria “Fado” do IPMA, competindo com “Todos Os Fados São Meus” de Francisco Moreira, “Lisboa é Assim” de Rodrigo Costa Féliz e “Ai Mas Ai de Mim” do LST Lisboa String Trio, todos de Portugal. Esta categoria premeia performances vocais de fados recém-gravados.

No último ano, Marta Raposo deu voz ao projeto “Flor em Grafiti”, cantado em três línguas, ao lado da guitarra portuguesa de Custódio Castelo.

Canto fado tradicional, mas não sou purista, acho que a arte exige criatividade e a mesma implica ser ousado. Sinto-me muito grata pelo privilégio que tenho de dar essência, poesia e voz, a este lindíssimo projeto, ao lado de Custódio Castelo, e Guilherme Valente, diretor musical do projeto. Tem sido uma viagem enriquecedora que me tem dado muitos bons momentos e isso vale tudo”, adiantou a cantora sobre este trabalho.

Os prémios do IPMA estão agendados para 25 de setembro, com apresentação de Catarina Furtado, numa emissão online devido à pandemia. 

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome