- Publicidade -

Quinta-feira, Janeiro 27, 2022
- Publicidade -

Torres Novas | Envolvente do Almonda Parque começa a ganhar forma

A obra do parque urbano junto ao Almonda Parque, em Torres Novas, uma das obras financiadas pelo PEDU – Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano e e com um investimento superior a um milhão de euros, começa a ganhar forma junto ao rio Almonda.

- Publicidade -

Segundo informação municipal, esta intervenção pretende contribuir para a “revitalização e qualificação do centro histórico através da transformação do espaço em parque urbano, permitindo promover a fruição e a acessibilidade ao rio, bem como restaurar e reabilitar os equipamentos existentes.

Fazem parte desta ação a construção do parque público, a construção de uma nova ponte da Bácora, a intervenção no Moinho dos Duques, nos arruamentos, incorporando a ciclovia e requalificação da zona da Tarambola”.

- Publicidade -

O adjudicação desta obra foi aprovada na reunião camarária de dia 16 de dezembro à empresa Lusitânia – Sociedade de Construções, Lda., de Tomar, pelo valor de 1.056.044,18 euros, acrescido de IVA à taxa legal em vigor e cujo prazo de execução é de 12 meses.

Foto: CM Torres Novas

A empreitada inclui ainda trabalhos como: estabilização de taludes através de aplicação de bio rolo, estacas de madeira e muros em gabiões vivos; construção de ciclovia em pavimento suave; implantação de equipamentos geriátricos de “fitness “; instalação de mini- ecopontos; iluminação decorativa e pública LED; redimensionamento e otimização de sistema de drenagem de efluentes; demolição da Ponte da bácora existente e a sua reconstrução com recurso a novos materiais, infraestruturas e iluminação; reconstrução/reabilitação da Tarambola e envolvente; substituição da iluminação pública existente com postes e cabos aéreos por cablagem enterrada e novos suportes integrados no projeto; construção de decks e melhoria da acessibilidade ao rio e ao centro comercial; recuperação e consolidação de uma parcela do edificado do Lagar, com o objetivo de evocar a memória espacial do moinho no seu território.

- Publicidade -

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome