Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Outubro 18, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Torres Novas | Confraria das Couves com Feijões potencia Festival de sabor popular (c/vídeo)

A Confraria das Couves com Feijões existe informalmente em Carvalhal da Aroeira, freguesia de São Pedro, desde 2012, tendo-se constituído oficialmente em 2015 com apadrinhamento da Confraria do Azeite do Fundão. Este ano chegou a entendimento com a Câmara de Torres Novas para lançar um Festival Gastronómico das Couves com Feijões: um desafio lançado aos restaurantes do concelho para que, entre 23 de novembro e 2 de dezembro, apresentem pratos à base deste conceito da gastronomia popular. Aderiram 29 restaurantes, tendo a apresentação do projeto decorrido no sábado, 17 de novembro, com uma ementa com sabor a aldeia e à tradição portuguesa. 

- Publicidade -

Acompanhando o bacalhau desfiado e a petinga, as couves com feijões reuniram à volta da mesa do Centro Social, Cultural e Recreativo de Carvalhal da Aroeira 115 comensais numa iniciativa que pretendeu abrir a semana em que vai ter início o Festival Gastronómico. As couves com feijões não é um exclusivo de Torres Novas, mas apela à ruralidade e aos produtos agrícolas próprios do centro de Portugal, tornando-se assim mais um marco da agenda cultural de Torres Novas.

A ideia de criar uma Confraria Gastronómica partiu de Luís Correia de Sousa, que escreveu um livro sobre os usos e costumes de Carvalhal da Aroeira Foto: mediotejo.net

- Publicidade -

A ideia da Confraria surgia na sequência do seu atual Grão-mestre, Luís Correia de Sousa, ter escrito um livro sobre os usos e costumes de Carvalhal da Aroeira, onde dedicou um capítulo à gastronomia. Face à indicação de que se comia tradicionalmente, entre outros pratos populares, as couves com feijões, deixaria então a sugestão de se criar algum tipo de Confraria, tendo rapidamente sido desafiado a concretizar a ideia, conforme explicou ao mediotejo.net. Posteriormente, admite, ainda se equacionou que teria sido melhor apostar numa Confraria do figo, mais fiel à narrativa do concelho, mas manteve-se a ideia original das couves com feijões, por ser “simples” e “emblemático” da localidade.

Houve logo um primeiro encontro para debater a ideia, tendo reunido em torno da Confraria cerca de 50 pessoas. “Começámos a reunir anualmente e contactámos outras confrarias”, recordou. Estes encontros costumam ser acompanhados por música, numa tentativa de unir a cultura erudita à gastronomia.

Este ano, em diálogo com o vereador do turismo do município, Joaquim Cabral, surgiu a ideia de desenvolver um Festival Gastronómico dedicado à temática, à semelhança do que já se faz em torno do cabrito. A iniciativa permite dinamizar o concelho e “colaborar com outras instituições”, que é um dos objetivos desta Confraria de Carvalhal da Aroeira.

Couves com feijões com bacalhau grelhado e petinga aconchegaram o estômago das 115 pessoas que participaram na apresentação do Festival Foto: mediotejo.net

A associação não pretende parar por aqui. Para além dos encontros e do Festival, assim como um conjunto de iniciativas culturais (em janeiro vai decorrer um evento gastronómico com a presença da escritora Alice Vieira), a Confraria está a desenvolver com o município um projeto de classificação de quatro oliveiras que se pensa serem milenares. Em torno destas irão ser definidos também percursos pedestres, dando assim um contributo para o turismo no concelho. Trazer “alguma coisa de novo” é a motivação deste grupo.

“Nós gostamos de aproveitar e valorizar tudo o que vem da tradição”, explicou ao mediotejo.net o presidente da Câmara de Torres Novas, Pedro Ferreira, admitindo que inicialmente estranhou a ideia. O conceito permite porém olhar para este prato tradicional de forma diferente, valorizando o que é próprio à história de Torres Novas. O desafio leva também a que 29 restaurantes apresentem na próxima semana diversas formas de apresentação culinárias das couves com feijões.

“É uma mais valia”, acredita, “mais um produto turístico” que poderá ser potenciado em outras iniciativas do concelho. “Queremos que ele continue”, afirmou, salientando a genuinidade do conceito e o seu peso emblemático no património cultural.

No sábado foram servidas cinco receitas tradicionais de couves com feijões, confecionadas por populares, acompanhando o jantar produtos regionais e pequenos momentos musicais.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome