Torres Novas | Centro histórico já conta com duas casas reabilitadas para “renda acessível”

No final de 2018, a Câmara Municipal de Torres Novas garantiu, em sede de discussão do orçamento municipal, que iria adquirir edifícios em ruínas no degradado centro histórico torrejano para reabilitação e arrendamento a preços equilibrados. Dois anos e cerca de 330 mil euros depois, há dois edifícios praticamente concluídos para uma modalidade de “renda acessível”. Em visita aos espaços, o BE frisa que é necessário mais. O executivo PS garante que é exatamente esse trabalho que está a fazer.

PUB

Os edifícios reabilitados encontram-se na Travessa das Albardeiras (T2+1) e na Rua Almirante Cândido dos Reis (T2). São prédios de dois e três andares que desafiaram a engenharia no aproveitamento do espaço, dada a exiguidade de metros quadrados, típica desta zona da cidade. Ainda assim estão a ser dotados de todas as infraestruturas modernas, no intuito de, em princípio, atrair casais jovens.

edifício na Rua Almirante Cândido Reis encontra-se na fase final de reabilitação Foto: mediotejo.net

PUB

Na sexta-feira, 16 de outubro, o Bloco de Esquerda visitou ambas as casas. “Isto mostra o caminho que é preciso seguir para a reabilitação do centro histórico”, comentou o deputado António Gomes ao mediotejo.net, “por muitas obras que exista, é preciso pessoas”.

“É preciso que a Câmara Municipal adquira mais casas”, reiterou. A vereadora Graça Martins sublinhou que a reabilitação do centro histórico é um dos grandes objetivos do BE, assim como a criação de condições para o arrendamento jovem a “preços controlados”.

“No orçamento de 2018 abstivemo-nos. A condição era a Câmara comprar edifícios para arrendar”, recordou.

Fica a faltar, alertou o grupo que visitou as casas, o regulamento de habitação, que ainda terá que ser aprovado em reunião camarária. O documento vai definir os critérios sobre a disponibilização destas casas a arrendatários.

“Em 10 anos os edifícios em ruínas aumentaram assustadoramente, as pessoas saíram”, comentou António Gomes. Trazer famílias para o coração de Torres Novas deverá por tal ser o grande objetivo destas medidas.

Questionado a respeito do tema, o presidente da Câmara de Torres Novas, Pedro Ferreira (PS), garantiu ao mediotejo.net que “estas habitações irão ser enquadradas no regime de “renda acessível”, não serão de “habitação social” e irá ser aberto concurso público sob regulamento que irá muito brevemente à Câmara”.

Reiterou assim que “pretende-se que gradualmente o centro histórico seja enriquecido com jovens casais em especial e que contribuam com mais vida social e económica no centro histórico da cidade e usufruam do mesmo”.

edifício na travessa das albardeiras está praticamente concluído. É um T2+1 com cozinha, sala de estar e dois WCs Foto: mediotejo.net

O município adquiriu até ao momento quatro edifícios em ruínas (estas duas casas e outras duas na Rua dos Ferreiros), nos quais investiu mais de 100 mil euros na compra. A reabilitação dos dois prédios que se encontram quase concluídos ficou nos 230 mil euros.

O presidente recordou que entretanto também já se comprou também, por 200 mil euros, o antigo edifício da Caixa Geral de Depósitos, espaço que deverá albergar a StartUp Torres Novas, trazendo assim jovens empresas para o centro histórico.

“De salientar que em execução de obras coercivas e situações em perigo para a via pública os custos já atingiram cerca de 200.000 euros”, alerta ainda Pedro Ferreira sobre a intervenção do município no centro histórico.

“Em suma e se contarmos com fatores indiretos nas reabilitações como reposição de calçadas, ligações de água, eletricidade e gás não estaremos longe de 1 milhão de euros. Sem esquecer a aquisição de terreno e imóveis por via da ampliação do Quartel dos Bombeiros, onde se engloba edificado na Rua da Palha e limítrofes e que fazem parte do centro histórico da cidade”, refere.

Pedro Ferreira constata que a requalificação do centro histórico tem passado também pela intervenção de alguns proprietários, “o que é altamente desejável e a Câmara criou desafios e formas de os ajudar como isenção de taxas, acompanhamento técnico, etc. Tornava-se importante e urgente promover, reabilitando, espaços degradados públicos, propriedade do Município e isso tem vindo a acontecer como a reabilitação do Convento do Carmo, da Central do Caldeirão, do Prédio Alvarenga junto ao castelo, do Almonda Parque, a reabilitação da Calçada António Nunes assim como do bairro social com o mesmo nome”.

BE está satisfeito com as reabilitações, um dos seus projetos para o centro histórico, mas constata que é preciso mais para trazer população de volta. Pedro Triguinho e Graça Martins Foto: mediotejo.met

“Tenho a certeza que todas estas intervenções terão motivado muitos proprietários para reabilitar os seus imóveis ou vendê-los, porque também está a acontecer. Há sinais evidentes dos negócios de imóveis no centro da cidade”, afirmou.

O presidente reconhece que permanece porém a preocupação com o comércio nesta zona da cidade. “Terá que haver uma estratégia comum criada em parceria, o município com os empresários, estratégia essa que está a ser planificada e que irá ser apresentada com brevidade”, garantiu.

Segundo o autarca, o município tem várias casas assinaladas para eventual compra, estando em fase de negociação com edifícios na Rua Alexandre Herculano e na Rua Miguel Bombarda.

PUB
PUB
Cláudia Gameiro
Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).