A direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Torrejanos reuniu a 30 de julho com o presidente da Câmara Municipal de Torres Novas, Pedro Ferreira, e com o vereador Carlos Ramos. Em cima da mesa estiveram temas como a construção do novo quartel e a necessidade de adquirir novos equipamentos.

- Publicidade -

Segundo nota de imprensa dos Bombeiros, no que concerne às dívidas nos termos dos compromissos (investimentos) assumidos pela autarquia aos Bombeiros Voluntários Torrejanos, que reportam já ao período desde 2014, e que ultrapassam os 100 mil euros, “a autarquia comprometeu-se a liquidar a dívida de curto prazo”.

A direção da Associação “levou também à discussão a importância de se equacionar a criação de uma segunda Equipa de Intervenção Permanente (EIP). De acordo com o Comandante dos Bombeiros Voluntários Torrejanos, esta é uma necessidade evidente, dado o número de ocorrências registado diariamente. Uma segunda EIP permitirá uma maior segurança, alargando o horário de permanência”.

- Publicidade -

Os Bombeiros expressaram ainda a necessidade de, a curto prazo, adquirirem “duas ambulâncias, um veículo escada e um veículo urbano de combate a incêndios (VUCI). O atual veículo escada que serve a corporação já tem cerca de 50 anos e, o VUCI, 25. O investimento e atualização nestes novos equipamentos é, portanto, uma urgência”.

Foi ainda referida “a necessidade de a autarquia aumentar a comparticipação fixa mensal aos Bombeiros Torrejanos” e a “importância da colaboração e rentabilização de meios entre a Câmara Municipal e os Bombeiros Torrejanos”, frisando-se que os bombeiros têm condições para garantir a receção, triagem e encaminhamento das ocorrências da Proteção Civil.

“Em cima da mesa, esteve também a obra do novo quartel, tendo a Associação informado a autarquia que a mesma decorre com normalidade, mas alertando o presidente e o vereador para a eventual existência de trabalhos a mais por insuficiência de projeto”, pode ler-se ainda na mesma nota informativa.