Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Setembro 27, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Torres Novas | Bloco de Esquerda apresenta programa para “liderar a mudança” (c/vídeo)

Ao longo de 40 páginas, a candidatura do Bloco de Esquerda aos diferentes órgãos autárquicos de Torres Novas, apresentou as suas propostas de governação em diferentes áreas, brochura que está a ser distribuída porta a porta pelo concelho.

- Publicidade -

No dia 13, a atual vereadora e candidata a Presidente da Câmara, Helena Pinto, juntamente com outros elementos das listas, apresentaram os principais aspetos desse programa, numa sessão que decorreu na praça dos Claras.

A tónica dominante foram as críticas à atual gestão socialista e a apresentação das propostas que visam “liderar a mudança”.

No final, Helena Pinto resumiu as palavras-chave do programa: planeamento (“é preciso planear e saber o que se vai fazer e onde”), debate (“é preciso debater para encontrar as melhores soluções”), participação (“levar as pessoas a participar para que as soluções sejam as mais consensuais possível”) e cuidar (“cuidar da nossa terra, do espaço público e de quem precisa e do futuro”).

Para a autarca recandidata é preciso cuidar do centro histórico, criar mais habitação, cuidar das questões ambientais levando a sério as alterações climáticas, criar emprego, defender o comércio local e tradicional e desenvolver a sério as zonas industriais.

Chamou a atenção para as “20 medidas que não podem esperar e para as quais é necessário começar desde já”. Constam da brochura que referimos e passam por redução de impostos e taxas municipais, combate à corrupção, prioridade à reabilitação para arrendamento a preços acessíveis, apoio de 50% às rendas durante um ano aos novos comerciantes, aposta num parque empresarial intermunicipal, alargamento da rede de transportes urbanos às freguesias e gratuitos.

O BE propõe-se construir as piscinas de verão, aplicar automaticamente a tarifa social de água, ampliar o canil, reabilitar o mercado municipal, descontaminar e despoluir os terrenos da Fabrióleo.

Na área do ambiente, os bloquistas querem despoluir o rio Almonda e classifica-lo como área protegida bem como reabilitar a nascente do rio e plantar 3 mil árvores nos próximos quatro anos.

Na área da educação defendem um montante de 100 mil euros por ano para bolsas de estudo e 30 euros por aluno para aquisição de material escolar.

O setor da saúde não foi esquecido e nesta área o BE propõe o reforço do serviço da urgência hospitalar e manter as extensões de saúde nas freguesias.

Na sessão começou por intervir Hugo Paz, estudante de 24 anos e cabeça de lista à Assembleia de Freguesia da Meia Via, que apresentou as suas propostas principais para a Freguesia, entre as quais o reforço dos transportes coletivos e a aposta na atração de novos habitantes, isto num concelho que perdeu cerca de 7 por cento da sua população nos últimos 10 anos, segundo os resultados do Censos 2021.

Maria José Formigo, elemento da lista para a Câmara, desenvolveu a proposta do BE para uma mudança do modelo de governação municipal, em que algumas medidas passam por tornar todas as reuniões de Câmara públicas e algumas descentralizadas nas freguesias. Defendeu uma nova estrutura orgânica do Município, alertando para o “valor inestimável” da igualdade.

Geógrafa de 41 anos, Ana Sofia Ligeiro abordou os temas da mobilidade, do emprego e do ordenamento do território, com enfoque na necessidade de planeamento, evitando a “deriva” da atual gestão socialista. A sua intervenção focou-se também nas questões ambientais com propostas para o rio Almonda e a aposta na criação de corredores verdes. A candidata considera que o BE pode “liderar a mudança de que Torres Novas precisa”.

Lipo Lalli, 27 anos, técnico de desenvolvimento social, é o número dois do Bloco na lista para a autarquia torrejana. Cultura e educação foram os temas que abordou numa intervenção em que defendeu reforço de pessoal auxiliar para as escolas, 100 mil euros por ano para bolsas de estudo, mais recursos humanos na área da cultura e uma nova política de gestão municipal.

Tânia Prezado, técnica superior de serviço social, de 43 anos, integra as listas para a Assembleia Municipal. Desenvolveu as propostas do BE na área social que passam por mais apoios às famílias carenciadas, aos idosos, às IPSS e às vítimas de violência doméstica.

Número 3 na lista para a Assembleia Municipal, Mariana Varela, estudante de 19 anos, falou sobre o funcionamento dos órgãos municipais propondo um novo modelo de funcionamento, com mais transparência e maior intervenção.

A encerrar a sessão, helena Pinto, depois de resumir as palavras-chave da candidatura que protagoniza, apelou ao voto “porque o BE tem um contributo a dar para o desenvolvimento do concelho, tem uma equipa que quer fazer e é capaz de fazer”.

O ponto alto da campanha do Bloco de Esquerda em Torres Novas será o comício do dia 16 de setembro, às 21 horas, na praça dos Claras, com a presença da líder nacional do partido, Catarina Martins.

 

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome