Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Setembro 20, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Torres Novas | BE vê nos Censos indicador que é preciso mudar estratégia de fixação de jovens

O Bloco de Esquerda (BE) de Torres Novas realizou na segunda-feira, 2 de agosto, uma conferência de imprensa, em que analisou os dados preliminares dos censos relativos ao concelho. Face à perda de 7% da população na última década, o partido defendeu que é preciso uma estratégia diferente para fixar jovens no território.

- Publicidade -

Na declaração enviada às redações, o BE considera que os resultados preliminares dos Censos 2021, onde se registou a perda de 2568 habitantes em Torres Novas, demonstram a queda da natalidade, baixa receção de imigrantes, mas também a “dificuldade de o município de Torres Novas fixar a sua população jovem no território do concelho”.

Para o BE “é fundamental tomar medidas para estagnar a fuga dos jovens (que não veem alternativa, a não ser tomar esta decisão), temos que ser capazes de dar condições para habitar e ter uma vida de qualidade em Torres Novas”. Segundo o grupo, as políticas públicas têm que mudar de paradigma e adaptar-se aos tempos atuais.

- Publicidade -

Uma da propostas do partido, que considera prioritária, é a reabilitação de edifícios. “Estima-se que no concelho existam 3000 casas ao abandono, que podem e devem ser recuperadas e servir para primeira habitação. O arrendamento deve ser facilitado com valores acessíveis, tirando partido dos fundos comunitários da União Europeia e por último é fundamental atrair novos residentes através de benefícios fiscais, nomeadamente uma redução do IMI”.

O BE também considera essencial “novas políticas direcionadas para a economia e o emprego com qualidade para todos e todas, que passa cada vez mais por projetos intermunicipais que tenham dimensão, capazes de criar sinergias e com capacidade de atração, que por sua vez influenciem o poder político ao nível central”.

Passando pelo desenvolvimento sustentável, considera também “imprescindível alternativas à utilização do automóvel, apostando na mobilidade suave, não basta criar infraestruturas físicas, há que mobilizar vontades”. Apostar no TUT gratuito e com circuitos alargado por todo o território é uma das propostas, assim como valorizar, despoluindo e limpando, o rio Almonda.

Outra proposta é a criação de bolsas de estudo, traduzidas em 100 mil euros anuais.

“Chegou a hora, de reverter esta demanda da população, para que em 2031, data dos próximos censos, não sejamos ainda menos jovens a habitar no concelho de Torres Novas, temos que ser também: “um concelho para os jovens”.

O Bloco de Esquerda, assume esta prioridade, na sua candidatura nestas próximas autárquicas”, conclui a declaração.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome