Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Setembro 27, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Torres Novas | Águas do Ribatejo investe 390 mil euros em nova conduta adutora

As obras de construção de uma conduta adutora que permita abastecer as povoações da Mata, Chancelaria, Pafarrão, Lugarinho e Maçaroca a partir do Reservatório de Outeiro Grande devem iniciar-se em outubro em Torres Novas e têm um prazo de execução de seis meses. O contrato assinado pela Águas do Ribatejo e a construtora Aquino Construções tem o valor de 389.221,20 €.

- Publicidade -

Em nota de imprensa, a Água do Ribatejo dá conta que os trabalhos a realizar consistem na execução da nova adutora com cerca de 2.138 metros de comprimento para ligar graviticamente os dois reservatórios. O objetivo principal é abastecer as redes de distribuição servidas pelo reservatório de Rendufas (“Subsistema da Mata”) a partir do sistema em “alta” sob gestão da EPAL.

Pedro Ferreira, vogal do Conselho de Administração da AR e presidente da Câmara Municipal de Torres Novas, citado na mesma nota informativa, refere que “será reforçada a fiabilidade, segurança e qualidade do serviço prestado, garantindo que o abastecimento de água de qualidade ocorre de forma regular durante todo o ano”, dando a empresa conta que “a qualidade da água distribuída a partir do Reservatório de Outeiro Grande é de excelência com o cumprimento de 100% dos parâmetros analisados por entidade certificada”.

- Publicidade -

Segundo Pedro Ferreira, a ligação gravítica com origem no reservatório de Outeiro Grande “permitirá ainda a desativação da captação da AC1 da Mata, dado que esta se encontra fora-de-serviço”.

Esta operação financiada apenas com capitais próprios da AR insere-se no plano de investimentos previsto para o concelho de Torres Novas na área do abastecimento de água com o objetivo de reduzir as fragilidades existentes nos sistemas mais antigos.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome