- Publicidade -

Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
- Publicidade -

Tomar | “Visionários” reúnem-se sábado no Complexo da Levada

O encontro anual dos grupos de “Visionários”, espetadores que participam na definição da programação da Artemrede, realiza-se sábado no Complexo da Levada, em Tomar, para análise e seleção de espetáculos para a programação em rede de 2019.

- Publicidade -

Em comunicado, a Artemrede, projeto de cooperação cultural que envolve 16 municípios, afirma que no encontro vão estar os “Visionários” dos concelhos de Abrantes, Alcanena, Alcobaça, Barreiro, Lisboa, Moita, Pombal, Sesimbra e Tomar para discutirem “várias propostas artísticas” e selecionarem “alguns dos espetáculos que farão parte da programação em rede de 2019 e do 3º Manobras – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas”, que vai decorrer de 13 de setembro a 31 de outubro.

“O projeto Visionários, lançado em 2017, desafia vários cidadãos a escolherem uma parte da programação cultural do seu município” inspirando-se no projeto de desenvolvimento de públicos existente em Itália, acrescenta.

- Publicidade -

Em Abrantes, a 2 de abril, decorreu a primeira sessão dos “Visionários”, uma iniciativa conjunta com a Artemrede. Foto: CM ABT

Em Abrantes, no dia 2 de abril, decorreu a primeira sessão dos “Visionários”, uma iniciativa conjunta com a Artemrede.  Este é um projeto inédito em Portugal em que Visionários se comprometem a assistir a um conjunto de espetáculos nacionais e internacionais, em formato audiovisual para que, após a sua visualização, selecionem os que farão parte da programação de 2019.

No exemplo de Abrantes, no que se refere ao 3º Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas de 2019.  Este é um projeto lançado pela Artemrede no ano de 2017 e envolve, para além de Abrantes, outros nove associados que aderiram à iniciativa: Alcanena, Alcobaça, Barreiro, Lisboa, Moita, Pombal, Sesimbra e Tomar.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome