Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Outubro 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tomar | Vereador José Delgado (PSD) fez balanço autárquico em despedida da Câmara Municipal

José Delgado (PSD), vereador de oposição no atual executivo da Câmara Municipal de Tomar, aproveitou a última reunião de Câmara pública antes das eleições autárquicas de 26 de setembro para fazer um balanço autárquico em jeito de despedida da Câmara Municipal. Esta aparenta ser uma retirada da vida autárquica por parte do engenheiro e docente, que acumula quase 30 anos de participação política em órgãos locais.

- Publicidade -

O social democrata, que foi cabeça de lista à Câmara Municipal nas eleições de 2017, tendo sido eleito enquanto vereador no atual executivo de maioria socialista liderado por Anabela Freitas, também chegou a concorrer à presidência da Concelhia do PSD em Tomar.

Depois de 8 anos enquanto presidente de junta de freguesia da Serra, que diz ter sido “um prazer”, mais 16 como deputado municipal na Assembleia Municipal de Tomar e 4 anos na vereação da Câmara, José Delgado retratou estes últimos anos na autarquia tomarense.

- Publicidade -

“Momentos em geral bons, muito bons e em especial o aumento exponencial de conhecimento, de novas amizades, onde as diferenças políticas passam a secundárias e até, quantas vezes, apenas as referências que deram origem à eleição (…) Não esqueço quem em nós votou, e quem nos apoiou”, começou.

José Delgado crê que “após a eleição um político deve encaminhar e abordar as suas ações sob o seu prisma político, mas no essencial, deve encaminhar o seu posicionamento em prol e na defesa de todos os tomarenses, sem exceção. Diria, todos diferentes, todos iguais”.

Foto: DR

“Sim, um vereador de oposição, segundo o meu ponto de vista, deve estar convicto das suas ações e, acima de tudo, atuar em consciência dentro das questões relacionadas com a ética e a deontologia. Deve ser crítico e apresentar as diferenças de forma clara e objetiva. E na elevação da sua eleição – o voto do povo, o voto dos tomarenses – apresentar alternativas credíveis, que sejam coisa positiva e um contributo para o desenvolvimento e sustentação de Tomar. Contribuir para um concelho mais justo e com mais riqueza, onde viver e visitar seja bom”, continuou.

Por fim, admitiu ser “este o desígnio que me transportou até ao dia de hoje, onde me sinto muito confortável, e com a certeza de que fiz sempre parte da solução e que nunca atuei com base na origem das propostas, mas muito ao contrário: sempre atuei com base na qualidade das propostas e naquilo que representam em termos de desenvolvimento para o concelho de Tomar e as suas gentes. No social, educação, cultura, desporto e no lazer, e claro, na criação de riqueza, pois sem a criação de riqueza tudo é uma ilusão”.

“Foi bom ter sido eleito pelos tomarenses, foi bom ser vereador a representar Tomar, foi bom ter oportunidade de conhecer melhor os tomarenses e os seus problemas, e acima de tudo, as suas virtudes. Foi bom dar e receber sem atender a benefícios ou origens. Foi ter uma postura de fazer parte da solução. Foi bom trabalhar com a Célia Bonet, com o Luís Ramos e o Francisco Madureira. Foi bom fazer parte deste executivo, com Anabela Freitas, Hugo Cristóvão, Filipa Fernandes e Hélder Henriques. As nossas diferenças e as nossas convergências foram certamente um contributo para fazer de Tomar um concelho maior”, enumerou, saudando o executivo, e deixando palavra de reconhecimento e agradecimento aos funcionários municipais bem como à imprensa.

Vereadores do PSD da Câmara Municipal de Tomar: (esq para dir) Luís Ramos, Célia Bonet e José Delgado. Foto: arquivo/mediotejo.net

“Peço desculpa a alguém se alguma vez fui inconveniente. Excelências, meus colegas de executivo, arrisco a dizer, meus amigos. Obrigado e bem haja”, concluiu.

Por seu turno, Anabela Freitas (PS), presidente da Câmara de Tomar, agradeceu as palavras de José Delgado e falou em nome de todos os eleitos, dizendo que partilha das palavras do vereador do PSD que cessa funções neste mandato, não se recandidatando nas próximas eleições autárquicas.

“Sempre fez uma oposição construtiva e assim é que deve ser. Não temos que pensar todos da mesma forma, aliás, aprovámos algumas das propostas e implementámos também algumas das propostas apresentadas pelos vereadores do PSD e foi também um gosto trabalhar consigo. Efetivamente, às vezes cria-se relações de amizade apesar de estarmos em campos opostos politicamente, mas isso faz parte da democracia, a luta democrática e por ideias nada tem a ver com as relações de amizade. Estes quatro anos também permitiram, pelo menos da minha parte, conhecer melhor o senhor vereador, conhecia-o apenas da Assembleia Municipal, e portanto, aquilo que foi a sua postura dignificou este órgão em reunião de Câmara”, terminou a edil, recandidata no próximo ato eleitoral, encabeçando o projeto do PS para mais quatro anos.

Dos atuais vereadores, apenas Célia Bonet segue em lugar elegível nas próximas eleições autárquicas, mas desta feita na lista à Assembleia Municipal, encabeçada por João Tenreiro.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome