Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Novembro 29, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tomar | Vereador do PSD critica uso recorrente da autarquia aos ajustes diretos

O vereador do Partido Social Democrata, João Tenreiro criticou, na reunião de câmara de segunda-feira, 10 de abril, a autarquia liderada por Anabela Freitas por recorrer, de forma reiterada, aos ajustes diretos para contratar serviços. “Parece-me que este executivo está a usar o ajuste direto como regra e não como exceção”, disse, referindo-se concretamente a um ajuste direto no valor de 74.500 euros para elaboração do projeto de requalificação da Praceta Raul Lopes, elaborado por um gabinete que não é de Tomar.

Nesse sentido, manifestou o seu desagrado e solicitou ver as peças processuais deste ajuste direto.

A presidente da câmara, Anabela Freitas (PS) explicou que o projeto tem a ver com a construção de uma ciclovia entre o Instituto Politécnico de Tomar (IPT) e a Praceta Raul Lopes e que o mesmo está incluído no PEDU que aprovou cinco milhões de euros (com possibilidade de mais meio milhão de euros de acréscimo), mas cujos projetos têm de dar entrada até 31 de maio.

A autarca explicou ainda que o projeto não se refere somente à ciclovia mas à requalificação de toda aquela via, o que inclui um projeto de mobilidade, daí que o valor atinja os 74.500 euros. Avançou também que o projeto de requalificação da Praceta Raul Lopes ainda não tem financiamento e que irá enviar ao vereador todas as peças processuais.

João Tenreiro voltou a intervir estranhando o facto do projeto da Várzea Grande ter custado apenas 28 mil euros e foi elaborado por uma empresa de Tomar e o da Praceta Raul Lopes ter custado 74.500 euros. O vereador Hugo Cristóvão (PS) também interveio referindo que o projeto da ciclovia entre o IPT e a Praceta Raúl Lopes é de uma grande complexidade e que o valor tem por base uma tabela que dita o preço por m2.

Aos 12 anos já queria ser jornalista e todo o seu percurso académico foi percorrido com esse objetivo no horizonte. Licenciada em Jornalismo, exerce desde 2005, sempre no jornalismo de proximidade. Mãe de uma menina, assume que tem nas viagens a sua grande paixão. Gosta de aventura e de superar um bom desafio. Em maio de 2018, lançou o seu primeiro livro de ficção intitulado "Singularidades de uma mulher de 40", que marca a sua estreia na escrita literária, sob a chancela da Origami Livros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome