Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Outubro 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tomar | Sentimentos mistos quanto à nova localização de Feira de Santa Iria (c/vídeos)

No coração de Tomar, a nova localização da Feira de Santa Iria despertava sentimentos mistos aquando a sua abertura, ao fim da tarde de sexta-feira, 12 de outubro. O executivo municipal assumiu o “risco” desta aposta e garante que vai procurar ouvir as opiniões dos feirantes até ao término da Feira, dia 21. Muitos estavam satisfeitos com os novos espaços de exposição, destacando o “espírito de Feira”, mas houve também quem criticasse os problemas de acesso para os visitantes, com um trânsito algo caótico logo no primeiro dia.

- Publicidade -

Luís Ramos, natural da Sertã, faz a Feira de Santa Iria de Tomar há 25 anos, vendendo com a família farturas e também castanhas, serviço último no qual o encontramos aquando a visita do executivo municipal ao certame. Este ano a Feira deixou a Várzea Grande, devido a um projeto de obras que ainda não iniciou, e encontra-se dispersa por toda a envolvente do Mercado Municipal. Os stands, segundo informação municipal, mantêm-se sensivelmente no mesmo número, apenas os divertimentos tiveram que diminuir devido ao limite do espaço.

Luís Ramos faz a Feira há 25 anos e admitiu algum receio com a nova localização Foto: mediotejo.net

- Publicidade -

Não tendo ainda uma opinião muito estruturada sobre a mudança, a perspetiva de Luís Ramos não era porém positiva. Junto à margem direita do rio Nabão, a paisagem melhorou substancialmente, reconheceu face à interpelação do mediotejo.net, mas o espaço é mais exíguo e o trânsito no centro da cidade estava caótico devido às estradas cortadas. “É o primeiro dia e já mal se passa na rua com estas pessoas. Como será no fim de semana?”, questionava-se.

A Feira de Santa Iria de Tomar faz parte do programa de feiras que percorre. “Uns anos vale a pena, outros não. Depende do tempo, da qualidade da castanha”, sem esquecer os períodos de mais dificuldades económicas. Este ano, admitiu ao nosso jornal, a permanência do calor não estava a convidar a comer castanhas.

Feira estende-se por toda a envolvente do Mercado Municipal. Foto: mediotejo.net

A sessão de abertura da Feira decorreu no Moinho da Moagem, onde foram entregues os prémios do concurso de trabalhos manuais destinado ao pré-escolar e 1º ciclo, desafiados a imaginar a Feria de Santa Iria em 2050. Sobre o certame, a presidente da Câmara de Tomar, Anabela Freitas, admitiu que a nova localização representava “um risco”, mas que procurou-se “manter aquela que é a coluna vertical da feira”, ou seja, a participação das crianças e o “espírito da feira”, a tradição.

“Sei que pode causar alguns transtorno”, reconheceu, recordando porém a larga história deste certame, uma antiga feira franca, sendo que decorrerá apenas por uma semana. “O espírito de feira tem que estar aqui presente”, afirmou.

Abertura da Feira de Santa Iria de Tomar

Publicado por mediotejo.net em Sexta-feira, 12 de Outubro de 2018

Ainda assim a presidente, à medida que percorria o certame, foi perguntando aos feirantes a sua opinião sobre a mudança de localização. Problemas relacionados com os acessos, mesmo para carga e descarga de mercadorias, foram a fragilidade mais apontada, mas houve também quem parabenizasse a autarca pela mudança e elogiasse o novo espaço, “mais calmo” e com um “ambiente mais de Feira”.

No diálogo com feirantes houve também quem criticasse a antecipação da Feira em uma semana, que a coloca a cruzar-se com a de Vila Franca, sendo que seria melhor para o negócio se a Feira se cruzasse antes com a de Ourém, onde os comerciantes se poderiam revezar, fazendo duas ao mesmo tempo. Outro apontamento foi de que, havendo Feira, não deveria haver mercado, devido à falta de estacionamento.

Presidente Anabela Freitas na abertura da Feira de Santa Iria

Publicado por mediotejo.net em Sexta-feira, 12 de Outubro de 2018

“Este ano vamos avaliar”, foi a presidente explicando a quem a abordava com dúvidas sobre a nova localização e receios para a semana de trabalho que se avizinha.

Posteriormente, em declarações ao mediotejo.net, a autarca comentaria que cerca de 95% da opiniões que recebeu foram positivas, destacando-se que a nova localização “enquadra-se mais no espírito de feira franca” e terá inclusive menos pó e lamas, dado que por esta altura chove quase sempre.

“Tive algumas críticas construtivas que já transmiti”, afirmou, salientando que ao longo da semana se vai manter o diálogo com os feirantes.

Feira ocupa Parques de Estacionamento

O Parque de estacionamento de Santa Iria está ocupado com venda de artigos diversos (cutelaria, loiças, chapelaria, brinquedos, decoração, bijuterias, quinquilharia) e o Parque de estacionamento frente ao cemitério de Santa Maria é o palco para as atividades musicais e culturais (junto ao Centro de Emprego), stands de sapateiros, artigos agrícolas e marroquinaria.

A Avenida Norton de Matos fica encerrada ao trânsito para se efetuar a exposição de automóveis, havendo a seguinte exceção – entre a rotunda Alves Redol e a rotunda dos Bombeiros ficará um corredor de emergência do lado do Mercado Municipal, para viaturas prioritárias a todo o tempo e para ser utilizado diariamente entre as 7h00 e as 10h00 nos abastecimentos ao mercado e aos operadores da feira e no descongestionamento do trânsito.

A autarquia entendeu adotar esta norma uma vez que àquela hora há grande fluxo de tráfego automóvel a confluir para a rotunda Alves Redol, vindo da Rua Everard e da Avenida Cândido Madureira e que os veículos pesados de passageiros e de mercadorias terão dificuldade em utilizar o itinerário alternativo adotado. A regulação do trânsito será garantida pela PSP.

O Parque de estacionamento tarifado na Av. Norton de Matos está ocupado com a exposição de máquinas agrícolas. No passadiço na margem direita do rio Nabão, o espaço junto à Casa dos Cubos, está destinado, na parte inicial do lado esquerdo, à Feira das Passas, seguindo-se os stands dos artesãos.

Na parte lateral direita, confinando com as traseiras da Rua de S. Gião estão instalados os vendedores de bolos nacionais e regionais, queijo e fumados, os vendedores de frutos secos e as Associações (IPSS). No espaço por detrás do busto de Manuel Mendes Godinho estão representadas as Instituições Públicas e os Produtores Locais. O secretariado da Feira funciona no rés-do-chão do Edifício da Moagem.

Quanto aos locais de estacionamento próximo e durante a feira, os carros podem ser estacionados na Várzea Grande (exceto das 6h00 às 14h00) nos dias 12, 19 e 26 de outubro ou no espaço envolvente da Rua do Rio Nabão e da Rua do Flecheiro e no Parque de estacionamento na retaguarda da Torre da Igreja de Santa Maria (exceto nos dias 12, 19 e 26 de outubro das 6h00 às 14h00).

Procissão de Santa Iria a 20 de outubro

No sábado, 20 de outubro, realiza-se a Procissão de Santa Iria, uma tradição que vai contar com a participação das crianças da catequese das Paróquias do concelho, com o contributo em transporte da Juntas de Freguesia. Uma vez que não há aulas ao sábado, não se poderão envolver as crianças das escolas como é habitual.

O programa prevê Missa na Igreja de São João Baptista às 10h00, seguindo-se às 11h00 a Procissão, pela Rua Infantaria nº 15, Av. Cândido Madureira, Rua Everard e Ponte Velha e às 11h30 lançamento de flores ao rio Nabão.

Programa completo:

Sexta, dia 12

21h00 – Banda da Sociedade Filarmónica Gualdim Pais

Sábado, dia 13

20h30 – Rancho Folclórico São Miguel de Carregueiros

21h30 – Rancho Folclórico “Os Canteiros” da Pedreira

22h30 – Banda Payalvense Manoel de Mattos

Domingo, dia 14

16h00 – Rancho Folclórico de Linhaceira

17h00 – Rancho Folclórico “Os Camponeses” de Minjoelho

18h30 – Banda Filarmónica da Sociedade Recreativa e Musical da Pedreira

Quarta, dia 17

21h00 – Noite de Fados pela Associação “Os Amigos do Fado de Tomar”, com os fadistas Vasco Serra; Ana Fernandes; Luís Filipe Fortunato; Rute Xavier; António Lourenço; Carmen Dolores, acompanhados por Diogo Ferreira (Guitarra) e Rui Girão (Viola), com apresentação de António Leiria

Sexta, dia 19

10h00 – Apresentação do livro sobre Santa Iria dos alunos do 12.º ano do curso de Artes Gráficas do Agrupamento de Escolas Templários (Complexo Cultural da Levada)

21h00 – Sociedade Banda Republicana Marcial Nabantina

22h30 – Rancho Folclórico e Etnográfico de Alviobeira

Sábado, dia 20 (Dia de Santa Iria)

10h00 – Missa na Igreja São João Baptista

11h00 – Procissão

21h30 – 28.º aniversário da Rádio Cidade de Tomar (espetáculo de variedades)

Domingo, dia 21

16h00 – Rancho Folclórico “Os Camponeses” de Peralva

17h00 – Rancho Folclórico “As Lavadeiras” de Asseiceira

*Horário da feira: Segunda a Quinta, 15h00 às 24h00; Sextas, 15h00 à 01h00; Sábados, 11h00 à 01h00; Domingos, 11h00 às 24h00

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome