Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Setembro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tomar | Rosa, a instrutora que quer levar o Yoga às crianças

Quem faz yoga é mais equilibrado, tranquilo, dorme melhor, tem uma consciência mais abrangente. Quem o afirma é Rosa Ferreira Gaspar, 46 anos, natural de Leiria mas residente em Tomar há seis anos.  Escolheu ser instrutora de yoga como missão de vida após trabalhar cinco anos como auxiliar de educação em escolas, onde não se sentia realizada  com aquilo que observava. Há três anos que dá aulas de Yoga para adultos e agora pretende levar esta prática até às crianças, contribuindo para a construção de um mundo melhor e mais tranquilo.

- Publicidade -

Rosa Gaspar diz que o Yoga é para qualquer idade, resultando em inúmeros benefícios para quem o pratica Foto: mediotejo.net

O que observou nas escolas, qando ali trabalhava, ajudou-a a despertar para esta necessidade de levar o yoga às crianças?
Aquilo que eu via e sentia nas escolas é que as atividades não iam ao encontro da natureza das próprias crianças. Pretendo que se sintam valorizadas por serem aquilo que são, que consigam expressar, ter e dar amor e carinho e trabalhar a sua parte mais intuitiva e criativa. A escola é muito focada no ensino, na memorização da matéria, na intelectualidade. O que senti é que elas, com o Yoga, podem conseguir ficar mais focadas e concentradas sem que isso seja rígido. Então comecei a sentir que era excelente o yoga nas escolas para ajudar a expandir o seu ser.

- Publicidade -

E na vida da Rosa…. Como é que apareceu o Yoga?
O Yoga apareceu-me numa situação de desespero, quando não me sentia feliz. Estava triste, aborrecida e doente. Tinha cerca de 30 anos. Decidi fazer yoga por intuição, por sentir que me ia ajudar. O Yoga é autoconhecimento. Comecei a praticar yoga e senti um grande alívio. Fui conhecer quem realmente sou. A responder a perguntas como quem sou eu, o que é que estou aqui a fazer, e para onde vou. Perguntas que eu me fazia desde criança e para as quais não tinha resposta. O Yoga ajudou-me a desenvolver e senti que era tão magnífico que decidi ir tirar o curso de instrutora de Yoga para crianças…

E para crianças porquê?
Porque as crianças estão habituadas ao ritmo agressivo da vida moderna e poderão encontrar harmonia e equilíbrio através da pratica regular de yoga.

E começou a dar aulas para adultos. É fácil a adesão ao yoga?
Muitas pensam que o Yoga é estar apenas sentados a dizer o Oom. Mas o yoga é uma técnica com muitos exercícios, onde podemos trabalhar a nossa parte física, psicológico, emocional e espiritual. Como se fosse uma ginástica suave. É sempre feito através da nossa respiração. Estamos conscientes da nossa respiração em cada exercício. Não nos cansamos e estamos a mergulhar dentro de nós. O Yoga é o autoconhecimento através das posturas psicofísicas.

É necessário já estar predisposto a esse autoconhecimento…
Não é qualquer pessoa que chega até ao Yoga. Há vários tipos de Yoga e muitas técnicas. Quem chega ao Yoga já nada à procura de algo mais, já não se sente realizada com o que existe à volta delas. Sentem necessidade de se encontrar com elas próprias. Por vezes ao fim de duas ou três aulas já encontra respostas que andavam à procura há muito tempo.

É gratificante para si ver esse impacto nos seus alunos…
Sim, muito. As pessoas ficam mais equilibradas, mais alinhadas. Dizem que dorme melhor e têm sempre vontade de voltar. Quando as pessoa está focada nas aulas de yoga, está tão relaxada que liberta-se através do choro ou então fica com mais vontade de dormir, deixando a medicação para dormir.

O Yoga é para qualquer idade?
Sim, para qualquer idade. Por isso sinto a necessidade de levar o Yoga até às escolas. Aqui em Tomar, que eu tenha conhecimento, houve esta prática em duas escolas.

Em que ponto de situação está este projeto de Yoga?
Neste momento, tenho uma amiga que também tem formação em yoga, Ana Luísa, que já falou com a coordenadora da escola dos Templários dos ATL.

Funcionava como atividade extracurricular?
Sim, vamos ver como se vai operacionalizar e isso tem a ver com a autarquia. A ideia era colocar o yoga no pré-escolar e ensino básico. As Associações de Pais também teriam que ajudar. É mais difícil porque há sempre poucas verbas mas possível.

Quais são os benefícios do Yoga nas crianças?
No corpo: mais coordenação, equilíbrio, flexibilidade, vitalidade e um contribuiu para um bom funcionamento do sistema digestivo, circulatório, respiratório, muscular e nervoso. Na mente: mais concentração, maior consciência de si próprio e dos outros, mais disciplina e autocontrolo, relaxamento e tranquilidade. No coração: mais equilíbrio emocional, mais força interior, mais amor pela natureza e animais mais amor próprio, respeito e generosidade.

Como é que se mete uma criança, mexida por natureza, a fazer yoga?
Desde, estimular a criatividade e a imaginação através de jogos, canções e historias, estimular a clareza mental, através dos exercícios de relaxamento. As posturas ajudam a manter um bom funcionamento do sistema imunitário, melhora o bem estar em função da prática física e reconhecimento das emoções para o auto conhecimento. As crianças relaxam e dormem melhor, desenvolvem as capacidades de concentração, atenção e foco e também descobrem um sentido de consciência e de respeito por elas próprias.

Já existem experiências piloto de yoga com crianças?
Sim, já fiz várias apresentações, em Cem Soldos e na Junceira. É a Associação de Pais que me paga para ir lá e as crianças ficam sempre muito contentes de irem lá. Muitas vezes, trabalhamos apenas as emoções e as crianças acabam por ser abrir connosco, deitando para fora as emoções contidas. Isso é libertador e resolve muitas questões. Aprendem o que é o amor incondicional. Quem faz yoga é mais equilibrado, tranquilo, dorme melhor, tem uma consciência mais abrangente.

Este é um projeto que vai beneficiar todos, crianças e adultos. Quem quiser conhecer o seu trabalho como pode fazer?
Dou aulas para adultos às segundas-feiras, no Trovador (junto à Rodoviária) às 19h30 e com crianças aos sábados, às 10h00 no Trovador. Quando está bom tempo vou com elas para a Mata Nacional dos Sete Montes, para o meio da Natureza.

Aos 12 anos já queria ser jornalista e todo o seu percurso académico foi percorrido com esse objetivo no horizonte. Licenciada em Jornalismo, exerce desde 2005, sempre no jornalismo de proximidade. Mãe de uma menina, assume que tem nas viagens a sua grande paixão. Gosta de aventura e de superar um bom desafio. Em maio de 2018, lançou o seu primeiro livro de ficção intitulado "Singularidades de uma mulher de 40", que marca a sua estreia na escrita literária, sob a chancela da Origami Livros.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome