Tomar | Revisão do PDM em período de discussão pública até janeiro

O aguardado período de discussão pública da revisão do Plano Diretor Municipal de Tomar (PDM) está a decorrer entre os dias 23 de novembro e 7 de janeiro, anunciou o Município de Tomar. Desde segunda-feira, dia 23, que existe uma ligação própria onde os cidadãos poderão apresentar sugestões ou fazer pedidos de esclarecimento. Duas décadas depois, depois de avanços e recuos, o processo caminha para a sua conclusão.

PUB

“É a fase final de um longo processo resultante da concertação com as entidades externas e de acordo com os pareceres vinculativos emitidos, em que todos os munícipes poderão intervir, consultando a proposta já disponível em www.cm-tomar.pt”, refere a autarquia em comunicado.

Durante o período de discussão, a documentação referente ao novo PDM vai estar disponível na Casa Vieira Guimarães, na Corredoura/Rua Serpa Pinto, onde pode ser “consultada com o acompanhamento de um técnico do Município que esclarecerá dúvidas e onde, caso não tenha acesso a equipamento informático para o efeito, poderá submeter a sua participação online”.

PUB

A autarquia diz que tem tido por objetivo “divulgar o mais amplamente possível todo o processo e clarificar as questões que naturalmente se levantam”, e por esse motivo foi realizada uma segunda sessão pública de apresentação da revisão do PDM, na Biblioteca Municipal, que incidiu nas “diferentes qualificações, classificações e ocupações de solo, nomeadamente acerca das disposições deste plano que são aplicáveis, cumulativamente com a demais legislação e regulamentação em vigor, em função da natureza e localização das operações urbanísticas”.

Após um moroso processo, com avanços e recuos ao longo de 20 anos, onde a legislação também colocou entraves ao desenvolvimento, entrou-se na fase final do processo de revisão e alteração ao Plano Diretor Municipal (PDM) de Tomar.

PUB

Tomar. Foto: Arlindo Homem

A autarquia recorda que a proposta em causa vem de 2016, altura em que foi entregue na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR LVT) “tendo sido necessários, todavia, mais de três anos e muitas reuniões para conseguir que as dezenas de entidades públicas emitissem os respetivos pareceres, de modo a finalizar assim o processo de concertação e chegar à proposta final, cuja discussão pública agora se inicia”.

“Entre a proposta então aprovada e a sua atual versão há forçosamente muitas alterações, pelo que se aconselha uma visualização e consulta atenta da mesma”, pode ler-se no mesmo comunicado.

A autarquia apela a todos os tomarenses para que participem neste período de discussão pública e deixem o seu contributo, lembrando que o documento “é determinante para a gestão e desenvolvimento económico do concelho, indicando as possibilidades de licenciamento da utilização dos solos no território concelhio, mas sendo igualmente vinculativo em várias outras matérias”.

PUB
Joana Rita Santos
Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres: o conhecimento e o saber, a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).