Quinta-feira, Fevereiro 25, 2021
- Publicidade -

Tomar | Quinta do Bill fecham digressão dos 30 anos na Casa da Música no Porto

Um espectáculo que promete ficar na memória de muitos. É isto que prometem Carlos Moisés e Paulo Bizarro, músicos da formação original da Quinta do Bill, no concerto “30 anos de canções e afectos” que vão dar este sábado, 25 de novembro, a partir das 22 horas, na Casa da Música no Porto. Um regresso da banda ao norte, onde contam com uma enorme legião de fãs. 
O espectáculo vai contar o percurso musical da banda de Tomar ao longo de três décadas, apresentando algumas particularidades graças à participação de quatro coros juvenis, num total de 80 jovens. A Casa da Música, mais concretamente a sala Suggia, mo Porto, foi o local escolhido porque o norte é um sítio especial para esta banda.
Em todo o norte, seja Minho, Trás-os-Montes, Douro, as Beiras sentimos que há muita gente que conhece o trabalho da Quinta e a prova disso é que nos estão sempre a convidar para espectáculos.  O centro e o sul também mas penso que o Norte tem, particularmente, um núcleo de fãs da Quinta muito especial”, conta Carlos Moisés, carismático vocalista da banda.

Concerto que encerra a tourneé dos 30 anos realiza-se na emblemática Casa da Música no Porto Foto: D.R.

Os coros juvenis vão participar numa série de canções, sendo que, apenas no próprio dia, fazem um ensaio geral. As canções vão-se transformar um pouco com esta abordagem. “Como já temos 30 anos disto, sentimos  que temos que passar o testemunho às novas gerações. Acho que vai ser uma partilha muito interessante. Para nós é muito enriquecedor todas as experiências musicais que fazemos com os mais novos e eles ficam muito felizes por conhecer as canções”, atestam.
A Quinta do Bill conta com um público fiel e Carlos Moisés avança com uma explicação para isto. Ou duas. “São dois os factores importantes: o espectáculo em si, porque trabalhamos muito o espectáculo no sentido que seja uma festa, Que participem, cantem e pulem. E, depois, é o trunfo, o poder das canções. Há sempre o momento na vida de alguém que se cruza com uma das nossas canções. Há uma empatia muito grande. Espero que as nossas canções tenham sempre um efeito positivo”, refere. 
- Publicidade -

Paulo Bizarro e Carlos Moisés integram a banda desde a sua formação Foto: mediotejo.net

Carlos Moisés não quer revelar muito sobre o espectáculo porque considera que é importante manter o factor surpresa. No entanto, adianta, o espectáculo vai contar com partes electro acústicas e depois uma parte mais intimista, mais acústica, com uma abordagem diferente das canções.
“Vamos jogar muito com a participação dos coros infantis, tanto a nível visual como musical. Queremos que as pessoas sintam o percurso dos Quinta do Bill ao nível musical, as nossas diferenças. Porque sentimos que ao longo destes 30 anos também fomos aprendendo a fazer música de forma diferente. Isso está patente de disco para disco”, sublinha. 
 
Questionados se os Filhos da Nação continua a ser a canção mais pedida, explicam que a resposta não pode ser assim tão linear.
“Eu dividia isso em duas partes: qual é a canção mais simbólica para o público em geral e qual é a canção mais simbólica para os conhecedores da obra da Quinta do Bill. Para o público em geral, sem dúvida que “Os Filhos da Nação” é um marco, intemporal, assim como o “Menino”,  “O trilho do Sol”, o”Se te Amo” ou o “Senhora Maria do Olival”. Depois, há aquele grupo mais atento à obra da Quinta que gostam de canções que muitas vezes nem tocamos em concerto. Por exemplo, o “Onde sei viver”ou do “Sem rumo”.
Paulo Bizarro considera que, em termos de álbum, o mais marcante da banda – e o que reúne maior consenso entre o público – é o Trilho do Sol, um álbum feito após os “Filhos da Nação”.
 

Os 30 anos da banda tomarense são acompanhados pelo lançamento de um vinho Foto: D.R.

Os 30 anos da banda que nasceu na quinta do Tio Bill, serão acompanhados pelo lançamento de um vinho, o resultado de uma parceria com uma adega de excelência, a Quinta das Bágeiras, na Bairrada.
“É um vinho muito bem posicionado em termos de enólogos e foi feita  a proposta de fazerem um vinho único, ou seja, aquela produção (duas pipas novas) seria exclusivamente para fabricar um vinho comemorativo dos 30 anos da Quinta do Bill. As garrafas são numeradas e o rótulo menciona a discografia do grupo. E a garrafa vem numa caixa com um design interessante. Foi mais um factor para esta comemoração, para sermos notícia”, refere Carlos Moisés.
- Publicidade -

A Quinta do Bill recebeu um prémio na Galiza com a música “Faz bem falar de amor” a ser considerada a melhor canção de 2016 Foto: D.R.

A banda não esquece a experiência recente vivida na Galiza após a canção “Faz bem falar de Amor” ter sido eleita como a melhor música portuguesa de 2016.
Estivemos há 15 dias em Santiago de Compostela, numa Gala, e foi eleita como melhor música. É o single do último disco mas eles estão atentos a tudo e foi essa a canção que eles elegeram. As nossas raízes estão muito próximas”, atesta. 
Paulo Bizarro conta ainda que quando foram sair à noite, notaram que há dois bares na Galiza que passam a nossa música com frequência. “Foram tão especiais, tão amáveis que durante a gala, quando o apresentador nos chamou ao palco e disse que comemorávamos 30 anos de existência, a plateia toda começa a cantar os parabéns. E depois do jantar, apagaram as luzes e trouxeram-nos um bolo para os parabéns”, recordam. 
Fazendo um balanço de como correu a digressão destes primeiros 30 anos, consideram que os concertos, de um modo geral, correram muito bem.
“O que demos na da Praça da República em Tomar, a uma sexta-feira e sem muita divulgação, foi surpreendente e marcante pela enorme adesão do público”, refere Paulo Bizarro.
Já Carlos Moisés confessa que ficou “muito sensibilizado” com a adesão do público tomarense. “Imaginei que estaria muita gente mas não tanta como a que esteve não só na Praça como nas artérias circundantes. Sentir que as pessoas responderam à chamada para virem fazer a festa dos 30 anos connosco. Muito obrigado a quem foi fazer a festa connosco!”, conta, prometendo um novo concerto em Tomar para breve. 
 
Para o fãs de Tomar que queiram acompanhar a banda no próximo sábado até ao Porto está a ser organizada uma excursão com saída no sábado, às 16 horas e regresso a seguir ao concerto. Mais informações podem ser obtidas na página do facebook ou contactar através do 919244615 (Teresa).

Aos 12 anos já queria ser jornalista e todo o seu percurso académico foi percorrido com esse objetivo no horizonte. Licenciada em Jornalismo, exerce desde 2005, sempre no jornalismo de proximidade. Mãe de uma menina, assume que tem nas viagens a sua grande paixão. Gosta de aventura e de superar um bom desafio. Em maio de 2018, lançou o seu primeiro livro de ficção intitulado "Singularidades de uma mulher de 40", que marca a sua estreia na escrita literária, sob a chancela da Origami Livros.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).