Tomar | PSD defende avaliação das caixas de fósforos doadas ao Museu

Museu dos Fósforos/Coleção Visitável, em Tomar conserva uma coleção superior a 80 mil caixas, etiquetas e carteiras de fósforos doada por Aquiles da Mota à Câmara Municipal de Tomar em 1980. Foto: mediotejo.net

Em praticamente todas as reuniões de Câmara de Tomar seguem na ordem do dia propostas de aceitação de doações de caixas de fósforos para o Museu dos Fósforos/Coleção Visitável Aquiles da Mota Lima. Acontece que, na proposta, é também sempre referido que o valor da doação se desconhece.

PUB

Ainda assim, a autarquia aceita todas doações em deliberação de executivo, passando assim a constar de espólio reservado do Município.  O PSD, na pessoa da vereadora Célia Bonet, levantou questões quanto à pertinência de uma avaliação do valor daquilo que é doado, no sentido de apurar a viabilidade de aceitação ou não.

Filipa Fernandes (PS), vereadora com o pelouro da Cultura, admitiu que não há avaliação sem ser o parecer de Helena Mota Lima, guardiã do espaço, e que estas doações integram uma reserva que poderá vir a servir exposições temporárias e serviço educativo quando a Coleção Visitável ascender a Museu oficialmente.

PUB

Célia Bonet (PSD) levantou algumas questões, na última reunião de Câmara de julho, sobre a análise/avaliação dos objetos doados, pretendendo saber como e quem faz análise da valia em aceitar, e se todas doações que são aceites são expostas no Museu.

“Parece um assunto de somenos importância se falarmos numa caixa de fósforos. Mas se falarmos em milhares, já passa a ter outro peso. Gostava de perceber se aceitamos tudo e se é feita análise? Tudo o que é aceite é colocado no museu com as mesma prioridade?”, questionou.

PUB

Por outro lado, Célia Bonet alertou para as falsas expectativas que são criadas aos doadores, que ao cederem os objetos, depois esperam encontrá-los expostos no museu e tal acaba por não acontecer. “Quando estamos a criar uma expectativa ao doador de que as caixas de fósforos vão para o museu, temos essa responsabilidade de saber o que estamos a aceitar e o seu valor”, frisou.

Célia Bonet (PSD) questionou sobre a aceitação de doações de caixas de fósforos para a Coleção Visitável. Entende que deveria ser feita análise e avaliação da valia das mesmas, para aferir a viabilidade de aceitação da doação por parte do Município e a sua integração no espólio. Foto: mediotejo.net

Filipa Fernandes (PS) referiu que as dúvidas da vereadora do PSD são pertinentes, admitindo que é algo que a própria já se questionou quanto a espólio que o Município detém. Ainda assim, disse haver cuidado por parte da pessoa que acolhe as doações alertar que as caixas não são expostas de imediato.

“Quanto às caixas de fósforos, não me parece tão razoável uma avaliação. Isto porque o Museu dos Fósforos não é oficialmente museu, mas sim uma coleção visitável”, referiu, dando conta do processo de acolhimento da doação.

O Município recebe a doação, e esta passa para uma reserva, que depois é alvo de parecer por Helena Mota Lima, guardiã daquela coleção visitável.

Filipa Fernandes admitiu que gostaria que a Coleção Visitável se tornasse oficialmente, no futuro, Museu dos Fósforos, sendo que as coleções e doações que vão sendo cedidas aos Município “mais tarde, quando tivermos um Museu com mais dignidade como merece, poderemos usá-las para exposições temporárias, além da coleção estanque e um serviço educativo”. Neste sentido, já há um projeto pensado para que tal possa ser realidade.

“Não temos um avaliador no município para fazer a avaliação da caixa de fósforos e doutros bens (…) contudo, tendo em conta os espólios da autarquia já cedidos anteriormente, acho que seria de todo pertinente uma avaliação externa do que temos”, notou, enumerando que tal representa desde quadros a moedas e mostrando-se “favorável” a que haja essa avaliação do que o Município detém.
Maria Helena Aquiles da Mota Lima é a guardiã do espólio, filha de Aquiles da Mota Lima. O pai colecionou caixas de fósforos ao longo de 27 anos, reunindo dezenas de milhares de exemplares Foto: mediotejo.net

Refira-se que o conhecido Museu dos Fósforos, que na verdade é uma Coleção Visitável, está localizado no Convento de São Francisco, e detém uma coleção de mais de 50 mil caixas, etiquetas e carteiras de fósforos doada por Aquiles da Mota à Câmara Municipal de Tomar em 1980.

Crê-se que é a maior coleção de caixas de fósforos da Europa, onde se encontram representadas centenas de países, contendo mais de 2 milhões de fósforos.

Mas são os fósforos tradicionais portuguesas, que apareceram em 1895, que ocupam maior parte do espaço.

A coleção teve origem numa troca de caixas entre Mota Lima e uma senhora americana, durante a viagem marítima a caminho de Londres para a cerimónia de coroação da Rainha Isabel II.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here