- Publicidade -

Tomar | PSD apresenta requerimento à Câmara sobre poluição do Nabão

Os vereadores do PSD na Câmara Municipal de Tomar apresentaram um requerimento ao executivo de maioria socialista, liderado por Anabela Freitas, onde pedem esclarecimentos, documentação e histórico das diligências e ações levadas a cabo para avançar com a despoluição do rio Nabão e intervir, nomeadamente, na ETAR de Seiça, um dos pontos críticos no que toca à descarga de efluentes no rio devido à falta de capacidade de tratamento da mesma, algo que se agrava em períodos de chuva.

- Publicidade -

O PSD refere que o intuito é unir esforços para encontrar solução para um problema que dura há largos anos e com episódios recorrentes de descargas poluentes. “Julgamos que todos em conjunto, cada um com a sua forma de pressão, podemos tentar ajudar a que este problema do rio Nabão seja resolvido”, referem os vereadores.

O requerimento foi apresentado pelo vereador Francisco Madureira (PSD) na passada reunião de Câmara, em nome dos vereadores de oposição, e que transcrevemos:

- Publicidade -

“Face à visível regularidade com que acontecem o que se depreende como descargas poluentes no rio Nabão, nomeadamente na ribeira de Seiça, afluente do mesmo, com provável origem na ETAR da Sabacheira, não se excluindo a possibilidade de existirem outras ocorrências de fontes poluidoras, os vereadores do PSD apresentam o seguinte requerimento, no sentido de Vossa Excelência responder às seguintes questões, no prazo legal:
1. Que medidas foram tomadas para aferir o nível de poluição das descargas de águas residuais no rio Nabão e sua origem?
2. Foram realizadas ações de fiscalização na ETAR de Seiça nos anos 2019 e 2020?
3. Nos anos de 2019 e 2020 forma detectadas algumas anomalias no funcionamento da ETAR de Seiça através do autocontrolo levado a cabo pelas entidades que têm a responsabilidade no seu funcionamento e monitorização?
4. Estão previstas obras de melhoramento no funcionamento da ETAR de Seiça, designadamente o aumento da sua capacidade de tratamento de efluentes para evitar acidentes? Se sim, quais.
5. Que medidas estão previstas para garantir a despoluição e requalificação do rio Nabão?
6. Atentos aos acidentes ambientais sofridos e bem conhecidos pela autarquia, designadamente pela tomada de posições públicas, foram feitas participações às competentes entidades, Agência Portuguesa do Ambiente (APA), ARH do Tejo, Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território (IGAMAOT), e Ministério Público. Se sim, solicitamos que as mesmas nos sejam disponibilizadas”.

Após a apresentação do documento, Francisco Madureira concluiu referindo que a intenção é unir esforços para que o problema tenha solução.

“Os vereadores do PSD enviarão pelas vias formais este requerimento, não queremos com isto dizer, antes pelo contrário, que nada foi feito. Sabemos que foi feito, sabemos que a pressão da Câmara perante instituições foi alguma, mas julgamos que todos em conjunto, cada um com a sua forma de pressão, podemos tentar ajudar a que este problema do rio Nabão seja resolvido”, terminou.

Tal não mereceu qualquer comentário por parte da presidente da Câmara Municipal, nem do restante executivo.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres: o conhecimento e o saber, a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).