Tomar: Presidente da autarquia quer um modelo de “gestão partilhada” do Convento de Cristo

A presidente da Câmara de Tomar, Anabela Freitas (PS) aproveitou a presença do Ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, na sexta-feira, 8 de julho, na inauguração da exposição “A Botica do Real Convento de Thomar”, para pedir uma “gestão mais partilhada” do Monumento que é Património Imaterial da Humanidade.
IMG_7367
Anabela Freitas, Luís Filipe de Castro Mendes e Maria do Céu Albuquerque, na inauguração da nova exposição. Foto: mediotejo.net
Anabela Freitas referiu que “cultura também é economia”, sendo uma preocupação ter no seu território um equipamento cultural deste nível e não poder desenvolver aquilo que é a economia local. “Compreenderá que isto nos acarreta alguns problemas”, disse, acrescentando que a intenção da autarquia passa por “pensar num modelo de gestão partilhada” deste monumento. A autarca pretende sentar-se à mesa com a Tutela para discutir esta matéria.
 
“Os monumentos e os equipamentos devem ser vivenciados. Os cidadãos, cada um de nós, tem que saborear o que faz parte da nossa História. Estamos a falar não só do Convento de Cristo, Castelo Templário como também do Aqueduto dos Pegões”, disse a autarca, acrescentando que há um grupo de cidadãos que, espontaneamente, está a trabalhar na limpeza do aqueduto.
“O que é o sentimento da população tomarense é que este monumento está no nosso território e têm estado a ser dados passos interessantes para abrir as suas portas à região, tendo sido assinado um protocolo entre a direcção do Convento e os treze municípios do Médio Tejo para dinamizar mensalmente o mesmo”, atestou, citando o Festival Zêzere Arts que já irá decorrer já este mês de Julho.
IMG_7369
Foto: mediotejo.net
O Ministro da Cultura respondeu a Anabela Freitas, referindo que o atual governo está “no espírito” de aumentar a gestão partilhada com o poder local através da descentralização.
“O Governo quer descentralizar e a descentralização vai ser estendida a todas as áreas, dando ao Estado tudo o que pertence ao Estado (no aspecto da regulação, fiscalização e harmonização da gestão patrimonial) mas essa necessária acção passa por atribuir mais competências ao poder local”, disse, receptivo à sugestão da autarca tomarense.
“Toda a nossa herança deve ser dinamizada no sentido de a mostrar melhor a quem a visita, contribuindo para uma maior vida à volta destes verdadeiros pólos de desenvolvimento e polarizadores de energias”, anuiu.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

PUB

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

PUB

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here