Terça-feira, Março 2, 2021
- Publicidade -

Tomar | O ‘Bons Sons’ pelos Capitão Fausto, Manuel Fúria e os Náufragos (entrevista)

A oitava edição do Festival Bons Sons arrancou esta sexta-feira, dia 11, e são esperadas cerca de 40 mil pessoas na aldeia de Cem Soldos até dia 14, que levarão para casa memórias musicais de 45 artistas, espetáculos de dança, atividades infantis, sessões de cinema e muito mais. Os palcos são, obviamente, o centro das atenções e no primeiro dia passam por eles passam Capitão Fausto e Manuel Fúria.

- Publicidade -

A banda de Tomás Wallenstein renova a experiência de 2012 no Palco Eira e o músico estreia-se em nome próprio com os seus Náufragos no Palco Tarde ao Sol. Manuel Fúria leva a sua músca pela primeira vez, depois de ter passado pelo festival em 2014 com os Capitães da Areia, ligados à sua editora discográfica Amor Fúria – Companhia de Discos do Campo Grande, que encerrou em 2016 num funeral oficial no MusicBox.

- Publicidade -

Falámos com os dois vocalistas sobre o festival que ambos consideram ter caraterísticas únicas entre os restantes eventos musicais que marcam o verão nacional pela ligação à música portuguesa e o envolvimento da população local. Uma essência própria que Tomás Wallenstein considera “boa onda” e com a qual Manuel Fúria diz identificar-se de forma “espiritual”.

O convite da organização do Bons Sons, assegurada desde sempre pelo Sport Club Operário de Cem Soldos (SCOCS), foi recebido com “muita alegria” pelos Capitão Fausto e Tomás Wallenstein revela que o esperavam “há algum tempo”. Manuel Fúria é mais contido na expressão, destacando que que “faz sentido lá estar” por ser “de longe” o festival com o qual mais se identifica e sente uma “ligação espiritual”.

Os Capitão Fausto regressam cinco anos depois. Foto: DR

As expetativas das duas bandas para a participação na edição de 2017 também divergem. No lado dos Capitão Fausto prefere-se não as ter porque “podem gerar desilusões”, mas existe a certeza de que “vamos ser bem recebidos” e proporcionar um momento “divertido, simpático e alegre”. Quanto a Manuel Fúria e os Náufragos assume-se que “não é mentira se disser que toda a banda está com muitas expetativas e com muita vontade de atuar no Bons Sons”.

Os Capitão Fausto começaram com o álbum “Gazela”, em 2011, e pouco depois já se encontravam nos grandes festivais de verão, um reconhecimento quase instantâneo que apanhou a banda de surpresa e foi encarada com “muito entusiasmo” e “uma oportunidade” de se afirmarem. Os banhos de multidão trouxeram-lhes “boas memórias” e deram “alento e motivação para continuar”, às quais se juntará certamente a do espetáculo marcado para a praça central da aldeia.

Manuel Fúria e os Náufragos também estão habituados a “banhos de multidão”, diferentes da intimidade que o palco montado no adro da Igreja de S. Sebastião tem tendência a gerar entre artistas e público. Ambientes em que se sempre “à vontade” uma vez que a questão não é a “escala”, mas o gosto “de dar bons concertos” e a partilha que se gera em cada situação.

A Cem Soldos vão chegar os álbuns mais antigos acompanhados pelas novidades dos trabalhos discográficos recentemente lançados por ambos. Os Capitão Fausto levam o novo “Os Capitão Fausto têm os Dias Contados”, que aprofunda as sonoridades rock, e Manuel Fúria e os Náufragos surgem em palco com o fresco “Viva Fúria”, cujo quarto single pede aos fãs “Cala-te e dança”.

Manuel Fúria passou pelo Bons Sons a acompanhar os Capitães da Areia, em 2014. Foto: Bons Sons

Manuel Fúria espera que a mensagem passe junto do público, que diz ser diferente do de “festivais maiores e mais relacionados com as grandes marcas, uma espécie de novos parques de diversões. O Bons Sons tem mais a ver com a música propriamente dita e as pessoas já vão preparadas para isso”. Os fãs dos Capitão Fausto podem aguardar temas que marcaram a viragem para o rock no álbum que foi feito com um “timing” próprio e Tomás Wallenstein sublinha ter começado a “existir desde que o começámos a fazer”.

A passagem será fugaz para os dois vocalistas que nas vezes anteriores também não tiveram muito tempo em Cem Soldos. Manuel Fúria deixa os Náufragos em terra logo a seguir ao concerto e os Capitão Fausto partem para o Douro Rock, no Peso da Régua, na manhã de sábado. De qualquer das maneiras, concordam que enquanto estiverem na pequena localidade de Tomar conhecida pelos bons sons que por ali param vão “viver a aldeia”.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).