Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Setembro 18, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tomar | Ministro da Educação inaugurou novo centro escolar em Linhaceira (c/áudio e fotos)

Os alunos do novo centro escolar D. Pedro IV, em Linhaceira, freguesia de Asseiceira, Tomar, tiveram uma visita surpreendente em sala de aula, tendo contado com a presença do Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, na terça-feira, dia 23 de junho. O governante veio inaugurar o equipamento, descerrando a placa na entrada desta nova escola que resulta de um investimento de 1.8 milhões de euros e que sempre foi muito desejada pela população local. Na ocasião, a autarca Anabela Freitas solicitou maior atenção ao Governo para o financiamento ao ensino articulado nas escolas do Interior, que considera, dando Tomar como exemplo, ser insuficiente e ficar muito aquém das necessidades.

- Publicidade -

Os alunos que frequentam o pré-escolar e 1º ciclo na Linhaceira dispõem, desde abril, de novas valências e condições, bem como o corpo docente e não docente que tem agora ao dispor infraestruturas para novos e mais arrojados métodos de ensino.

Num edifício com arquitetura moderna, diferente do traçado das escolas centenárias, como era o caso da antiga escola da aldeia, encontram-se agora várias salas apetrechadas com equipamentos digitais, e outros materiais, bem como de espaços polivalentes e pátios.

- Publicidade -

Há também uma sala destinada ao ATL e um refeitório amplo onde também se podem realizar eventos no futuro. A sala da biblioteca ainda está a ser equipada.

O ministro fez questão de visitar, após descerrar a placa, todas as salas, cumprimentando os docentes na companhia da comitiva, e interagindo com os alunos, lançando diálogos sobre as matérias que estavam a estudar e aferindo junto dos mais novos o que achavam da nova escola.

Conversa puxa conversa, brincadeiras no pátio a recordar o “Macaquinho do Chinês”, dicas para jogos que estimulassem a perceção de simetrias e espelhos, entre outros momentos, o governante visitou todos os recantos do novo estabelecimento escolar, que integra o Agrupamento de Escolas Templários, em Tomar, dirigido por Paulo Macedo, que também seguia na comitiva juntamente com os vereadores Hugo Cristóvão, Hélder Henriques, Luís Ramos, e ainda representante da DGEstE, bem como a empresa responsável pela obra.

Foto: mediotejo.net

Por seu turno, Anabela Freitas, presidente da Câmara de Tomar, lembrou que Linhaceira “tinha uma escola centenária, que já não era suficiente para acolher as crianças, tendo a autarquia há cerca de três anos acrescentar um contentor sala para que pudesse albergar todas as crianças” e que este é um investimento que resulta da vontade da população local.

ÁUDIO | OIÇA AQUI a Presidente da CM Tomar, Anabela Freitas

A CM Tomar lançou um desafio a três gabinetes de arquitetura, no sentido de apresentarem ideias para a construção do centro escolar D. Pedro IV, vulgo Centro Escolar da Linhaceira, e o projeto ganhador foi escolhido pela população, que teve o voto final.

Daí existir uma “ligação muito afetiva entre a escola e a comunidade escolar na sua total abrangência”.

O centro escolar resulta de um investimento de 1,8 milhões de euros, sendo que 1,5 milhões de euros foram financiados através do Portugal2020, pelo pacto assinado no âmbito da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo. O restante valor foi suportado pelo Município de Tomar.

Foto: mediotejo.net

“O que pretendemos com este equipamento é aquilo que nos pauta em todas as políticas públicas que fazemos: igualdade de oportunidades. As crianças que moram fora do centro da cidade, têm que ter as mesmas igualdades de aprendizagem, de oportunidades, que as crianças que moram no centro da cidade”, disse a autarca, considerando que educação, a par da justiça e da saúde “são três pilares fundamentais em qualquer sociedade”, e em Tomar o processo de descentralização de competências já iniciou em 2009.

Ainda assim, a presidente Anabela Freitas lembrou ao governante que ainda há reivindicações e negociações em cima da mesa, por parte do município, nomeadamente quanto à requalificação da escola Gualdim Pais, que passou para alçada da autarquia no âmbito da descentralização de competências, e deixou o alerta para a falta de financiamento e apoio ao ensino articulado no interior do país.

“Mais importante que isso é termos um projeto que abarque e que permita trabalhar não só o ensino artístico como o articulado, e que permita existir uma escola direcionada para essas área”, notou.

Anabela Freitas defendeu que é necessário dar oportunidades aos alunos, uma vez que uma criança em Lisboa tem acesso a ensino articulado que uma criança em Tomar não tem.

Foto: mediotejo.net

“O modelo de financiamento tem ficado aquém daquilo que são as necessidades – no caso de Tomar o ensino artístico está assente em duas associações”, disse. A autarca referiu-se a caso de aluno que frequenta o curso de dança, e cujos pais não têm capacidade financeira para suportar o curso, estando a autarquia a assumir os custos até final do ano letivo. “A criança em Tomar tem de ter a mesma igualdade de oportunidades”, frisou.

Tiago Brandão Rodrigues, a quem a comunidade ofertou dois livros referentes à comunidade de Linhaceira e às suas escolas, bem como a história da freguesia de Asseiceira, começou por referir que a atividade deste novo centro escolar representa um “mais um capítulo fantástico” na história do ensino em Tomar, tendo felicitado a autarca Anabela Freitas bem como toda a comunidade educativa, tendo também reconhecido o trabalho de todos.

Notou que, ali, dispõem agora “das melhores condições, que é difícil encontrar em muitos dos outros territórios ditos do litoral, das grandes urbes, e isso mostra aqui uma grande aposta por parte da autarquia”, seguindo-se o lançamento de um desafio a todos os presentes.

“O desafio é continuarem a fazer tão bem, pelo menos, como têm feito até aqui. Poder entender que a diversificação pedagógica é importante e que os alunos do concelho tenham oportunidades no ensino artístico, no ensino profissional, porque sabemos que a dupla certificação é muito importante, mas também as linhas científico-humanísticas e que a partir daqui os alunos possam completar o ensino obrigatório, absolutamente fundamental,e possam ver cumpridos todos os seus sonhos, seja no ensino politécnico, seja no ensino universitário”, enumerou.

“Celebramos esta escola nova. Temos aqui um caderno novo, que vem homenagear todos os que estudaram na Linhaceira e na freguesia, os que o fazem agora, mas acima de tudo os novos que aí virão. Sejam os atuais residentes, sejam aqueles que com a pandemia sentem a inquietação de ocupar novos territórios, agora com menos gente”, prosseguiu.

Foto: mediotejo.net

Tiago Brandão Rodrigues concluiu, fazendo menção às reivindicações tanto da autarquia, como da junta de freguesia e comunidade educativa, para “fazer com que a exigência de uns seja o cumprimento daquele compromisso que todos temos que ter, para que em conjunto possamos efetivamente ter melhor escola e sobretudo melhor escola pública para as crianças e jovens que tanto merecem e que tão bem me receberam aqui”, terminou.

Em declarações à comunicação social, à margem da inauguração do centro escolar, o ministro aludiu ainda, em jeito de balanço, às questões do ensino em tempo de pandemia, bem como os planos de segurança e de recuperação de aprendizagens previstos para o próximo ano letivo, estando em cima da mesa a robustez de recursos humanos, e a especial atenção ao primeiro ciclo e anos de transição de ciclo no que toca à consolidação de aprendizagem e a recuperação da atividade e socialização.

ÁUDIO | OIÇA AQUI o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues

Recorde-se que o novo centro escolar D. Pedro IV abriu portas a 5 de abril. Além da obra, todo o mobiliário escolar, bem como os computadores e demais materiais para apetrechar o novo centro escolar, representam um investimento de 1,8 milhões de euros.

O novo edifício escolar da freguesia de Asseiceira foi construído no lado poente do Salão Multiusos da Associação Cultural e Recreativa de Linhaceira, passando a constituir o cartão de visita da aldeia para quem venha do lado da sede de freguesia. O Município apoiou a construção do pavilhão em troca da cedência do terreno (propriedade da ACRL) para erigir o Centro Escolar, cujos alunos irão usufruir das instalações, nomeadamente para atividades desportivas.

Trata-se de um projeto da responsabilidade do Atelier Rua, escolhido a partir de três ideias apresentadas publicamente, tendo recebido o aval das diversas entidades envolvidas (Associação de Pais da Linhaceira, Agrupamento de Escolas Templários, Junta de Freguesia de Asseiceira e Município de Tomar).

FOTOGALERIA

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome