Tomar | Líder da concelhia do CDS apresenta ideias para dinamizar turismo

O líder da concelhia do CDS de Tomar, João Amendoeira Peixoto, fez uma intervenção na reunião pública da câmara, de 14 de maio, tendo abordado uma série de temas sobre o concelho, questionando o executivo sobre alguns assuntos e ainda apresentando ideias para dinamizar o turismo.

PUB

Num primeiro assunto, referiu-se à reabilitação da Sinagoga, questionando sobre os achados que possam ter surgido e sobre como estão a ser tratados. Alertou ainda para o facto de ser comum encontrar turistas desinformados que se deparam com o monumento nacional encerrado para obras, existindo, a seu ver, “uma má gestão de informação que se alarga ao site”.

Nesse sentido, sugeriu, já contemplando que a autarquia terá avisado as embaixadas, o surgimento do aviso do encerramento da Sinagoga na página principal do site da câmara inclusive noutras línguas como o francês e o alemão.

PUB

Referiu-se ainda à Necrópole de Tomar, que tanto se falou aquando da sua descoberta e escavações salientando que atualmente nenhum visitante sabe da sua existência. Questionou João Amendoeira Peixoto se a câmara tem algum projeto ou ideia para este assunto, tendo em conta que estamos a falar do local onde estão enterrados inúmeros templários e elementos da Ordem de Cristo.

Líder da concelhia do CDS fez uma longa intervenção na reunião pública de 14 de maio Foto: mediotejo.net

A presidente da Câmara, Anabela Freitas (PS), respondeu que “não têm nada em andamento”, ao que João Peixoto referiu que, com base em duas obras, que naquele local estiveram expostas centenas de estelas medievais templárias e da Ordem de Cristo, mostrando imagens de algumas que são de um “encanto nabantino quase desconhecido para muitos”. Sugeriu, por isso, que se fizessem réplicas das estelas existentes e que se crie um espólio a céu aberto, ponto de referência e paragem obrigatória para os turistas.

PUB

Segundo o mesmo, “se há local em Portugal que tem de ter um cemitério templário é Tomar”. Sugeriu igualmente que se crie uma réplica da arca tumular do templário Martins Silvestre que está na Igreja Matriz de Monsaraz, povoador desta terra alentejana, para colocar na Igreja de Santa Maria do Olival, em representação dos antigos túmulos dos mestres dos Templários e de alguns da Ordem de Cristo mandados destruir em determinadas alturas da nossa história.

A sugestão das estelas Templárias foi bem aceite, assim como a réplica do túmulo do templário, a que a presidente Anabela Freitas considera igualmente interessante mas que requer mais trabalho em termos de autorizações.

O terceiro assunto que colocou refere-se ao Fórum Romano, em relação ao qual o município referiu estar a trabalhar sobre o assunto, tendo João Peixoto sugerido olhar para a possibilidade de um Museu Arqueológico de Tomar, que mostre a centralidade de Tomar e faça conferências e eventos como centro de aprendizagem que deve ser, tendo ainda sugerido olhar para o Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas, em Sintra.

No período antes da ordem do dia, a vereadora Célia Bonet (PSD) parabenizou a intervenção do jovem cidadão João Peixoto nesta reunião e pelos temas abordados.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here