Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Julho 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tomar | Estátuas Vivas 2019 com menor afluência leva autarquia “a repensar o festival”

A 7ª edição do Festival de Estátuas Vivas de Tomar, que decorreu no Mouchão e no jardim da Várzea Pequena entre 7 e 8 de setembro, atraiu milhares de visitantes, mas ainda assim registou um decréscimo em relação a 2018. Por este facto, a autarquia pretende “repensar o festival”, dando-lhe outros contornos diferenciadores de outros festivais similares que começaram a ocorrer em concelhos limítrofes.

- Publicidade -

Filipa Fernandes (PS), vereadora da CM Tomar, referiu na reunião de Câmara desta segunda-feira, dia 16 de setembro, que já existe um balanço da edição de 2019 do Festival de Estátuas Vivas. “Tivemos cerca de 8 mil visitantes no total, houve um decréscimo relativamente ao ano 2018, ponto esse que nos leva a repensar o festival”, disse a vereadora respondendo às questões colocadas por Célia Bonet, vereadora do PSD.

O festival está “em processo de avaliação”, estando o município a “pensar no seu futuro para 2020”. A autarquia entende que “requer obviamente uma reestruturação, uma vez que quando o Festival de Estátuas Vivas foi criado no concelho, era dos poucos festivais nacionais, e neste momento outros concelhos já fazem Festivais de Estátuas Vivas nos mesmos moldes, caso de Santarém e Coimbra, e está na altura de o Município de Tomar não fazer mais do mesmo, mas sim repensar o festival, interligando-o a outras artes que não só as estátuas vivas”.

- Publicidade -

Em relação às contas, Filipa Fernandes disse não haver ainda noção exata dos custos e lucros associados a esta edição.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here