Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Outubro 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tomar | Entrevista/T.C. Aeelah: “A dificuldade da felicidade reside na complexidade da mente”

“Ser Amor: para além da ilusão” é o mais recente livro de Tânia Castilho, professora de Inglês em Tomar, que como autora assina T.C. Aeelah. Nasceu no Zimbabwe, tem 45 anos, veio para Portugal com 8 e vive em Tomar mas assume ser uma cidadã do mundo. E o mundo, diz, é uma aldeia com muitas cores. Uma entrevista sobre Amor que deve ser lida de coração aberto. 

- Publicidade -

O que é isto de Ser Amor?
Na verdade “Ser Amor… Para além da Ilusão” (título completo do livro) é perceber que o Amor não se cinge às necessidades, às posses, aos apegos e às condições que impomos uns aos outros mas encontra-se noutro lugar, muito mais profundo, dentro de cada um de nós, que é o nosso Ser. E o nosso Ser é… Amor. Daí o título.

E esse “Ser” onde é que se encontra, se não formos para o plano do abstrato?
Para já encontra-se em todo o lado. Mas, dentro de cada um de nós, através da nossa respiração, que é algo que nos acompanha 24 horas sobre 24 horas – desde o momento em que nascemos até ao momento em que partimos desta terra – podemos encontrar esse Ser para além das personalidades todas que acreditamos que somos. Respirando, tomando consciência de todas as dádivas que a respiração nos traz em cada momento e das suas qualidades, podemos chegar ao centro de quem somos. E o centro fica precisamente no centro físico do nosso corpo, ligeiramente abaixo do nosso umbigo, o centro de gravidade. Concentrando a nossa repiração até ao centro, de repente, a dado momento ficamos presentes. Ficamos no Agora. Ficamos num espaço a que gosto de chamar o espaço seguro. E é nesse espaço seguro, dentro de nós,  é que reside o Ser.

- Publicidade -

Como é que a Tânia despertou para esta temática do Amor?
Foi de uma forma bastante sofrida que eu descobri que havia qualquer coisa de errado nisto tudo (risos) Comecei a namorar com 12 anos e, desde cedo, comecei a ter experiências de desamor. Primeiro que tudo, logo na infância, comigo mesma porque não sabia o que isso era e não me aceitava útil e válida pelo que comecei a procurar fora esse amor que eu não sabia o que era. Achava que havia de haver alguém que me mostraria e daria o que eu achava o que precisava. E, claro está, que nesta escassez fui encontrando muitas experiências de dor, de mágoa, de raiva e de separação interna (principalmente) mas foi isso o meu tesouro. Estou muito grata por ter tido a coragem e a ousadia de ter experienciado estes relacionamentos de formas tão diversas e dolorosas porque foi isto que me fez dizer basta. Sempre tive a noção muito clara que estava nesta Terra para aprender a amar. E para partilhar amor.  

Aprende-se de duas formas: na Dor ou no Amor…
Exato. No meu entendimento a Dor é que leva sempre à procura do Amor. E, portanto, cheguei ao momento em que tive que parar e olhar para mim e parar de culpar os outros pela dor que sentia, percebendo que todos eram meus mestres e todos espelhavam coisas que eu é que tinha que resolver. A partir daí fiz um mergulho interno muito profundo. 

Procurou ajuda nessa busca mais espiritual?
Sim, em muitos sítios. Tanto em Portugal como fora do país. Fiz imensos cursos no mundo da espiritualidade, fiz uma busca enorme porque eu continuava a não perceber. E queria perceber. Porque eu sabia que se praticasse mais tarde ou mais cedo ia perceber. A dado momento larguei as práticas todas quando descobri que respirar, de forma consciente, chegava. Nós temos ao nosso dispor, aqui na Terra, hoje, tudo o que é preciso para descobrir aquilo que somos. Para conseguirmos ser felizes. 

Porque é que é tão difícil sermos felizes?
A dificuldade da felicidade reside na complexidade da mente. A nossa mente (personalidade), através da qual projectamos o nosso ego, diz-nos através do mecanismo de sobrevivência que temos que lutar, que a vida não é fácil, que tem que haver esforço, que temos que provar alguma coisa, que necessitamos de reconhecimento… Todas estas ilusões, das quais falo no livro, fazem com que achemos que a felicidade está sempre no outro ou no amanhã. É sempre no amanhã. 

Porque é tão difícil este desapego ao outro? Quem se vira para si próprio é, muitras vezes, chamado de egoísta…
Porque desde que nascemos nascemos em registo de sobrevivência e precisamos de alguém que cuide de nós. Começamos logo a aprender como é que se obtém reconhecimento para obter essa ajuda. É o jogo da vítima e do abusador. Ponto assente que não há vítima sem que seja abusadora. Porque a vítima abusa pelo menos de si mesma. Por isso, para destruir esta ilusão há que largar a necessidade de estar sempre lá para os outros e perceber que primeiro temos que aceitar a nossa sombra. Temos que largar a nossa visão limitada do positivo e do negativo. A compaixão não é ter pena. É aceitar. Não nos cabe a nós julgar se está certo ou errado.

É um processo doloroso e solitário?
Se todos nós aprendessemos estas coisas logo em pequeninos haveria um fluxo mais contínuo de amor. O caminho da mestria é um caminho solitário. Para mim, o grande desafio neste livro foi tentar traduzir em palavras – um reino tão limitado – uma mensagem  que qualquer pessoa entenda. A essência do Ser todos a têm. Mas cada pessoa encontra essa noção das mais variadas formas.

 

Tânia Castilho é a autora do livro “Ser Amor: para além da ilusão” que aborda o segredo da felicidade Foto: mediotejo.net

O que é que espera deste livro?
Que ele abra os corações que se permitam ser abertos. Que promova mais equilíbrio e que reúna o masculino/feminino interno que todos temos. Sendo educadora, porque dou aulas de inglês e promovo projectos educativos e cooperativos, por cada livro que venda há uma verba que reverte para um projecto educativo que vou escolher ao longo do ano. Daqui a um ano, decidi que vou doar 1 milhão de euros porque vou vender 1 milhão de livros. Não só fisicamente como através da Amazon.com. Ao fazê-lo, a mensagem de que o amor é simples e pode chegar a toda a gente pode chegar mesmo a toda a gente, até aqueles que não o leram. É este o meu sonho com o livro: abrir os corações e fazê-lo de muitas formas. 

Onde é que as pessoas podem comprar o livro?
Está nos sites da Amazon de todos os países e na minha página de autora amazon.com/author/tcaeelah, está em inglês (BE!… Love: Beyond Illusion) e em português. Também está a ser traduzido para Espanhol. Pode ainda ser pedido através do meu site inpassioncoaching.com. Optei por não entregá-lo a uma editora porque não podia fazer esta escolha de doar 1 europor cada livro vendido. E, deste modo, sei quantos livros é que vendo e não que ficam parados numa livraria. O livro custa 16 euros, quando é vendido em apresentações custa 14 euros e se for comprado mais do que um custa 13 euros.

Demorou muito tempo a escrever este livro?
A primeira edição este livro foi criada em 2012 e chamava-se “Não apenas mais um livro sobre o Amor… o Livro sobre o Amor”. Desde 2014 que eu tinha vontade de fazer uma versão ampliada dessa primeira. Porque quando o escrevi em 2012 foi uma descoberta enorme, como que descarregasse. Era como se estivesse na escola a aprender sobre o amor.

Como é que essa informação lhe chegava? Por intuição?
Sim. O nível de descarga era tão intenso que eu só tinha que o escrever… e depois lia o que escrevia e tentava perceber a mensagem. Depois disso fui aprofundando e experienciado. Acima de tudo fui pondo em prática, na minha vida todos os dias, o que tinha partilhado no livro. Que é para ler com o coração para se alcançarem transformações profundas. 

O que é que o livro diz para ajudar os outros a serem mais Amor?
No livro falo do que é “cair no amor” (na ilusão do Amor, “fall in love”) e nos 7 pecados mortais do Amor. E são eles: a possessividade, a necessidade, a dependência, o apego, o ciúme, a culpa e o amor condicional. Falo de todas as dinâmicas do amor, da alma gémea, da liberdade, etc… E, no final, chego aquilo a que chama elevar-se no Amor.

É fácil propagar esta mensagem?
Eu, para ter coragem – e no livro dou exemplos concretos da minha vida – tive que, realmente, confiar plenamente que o que importa é a mensagem e a forma como ela é passada. A minha escolha é que este livro seja ouvido e sentido pelos corações das pessoas. Por estranho que possa parecer, não encontro lutas porque quando falamos com a voz do coração esta é a única forma que toda a gente entende e, por isso, comunico sem ruído. Hoje em dia já não tenho medo. Não preciso do reconhecimento de ninguém para ser feliz. Eu escrevi o livro porque quando descobrimos que temos este amor cá dentro, ele transborda.

Tomar acolhe evento “Mulheres Bordadoras de Sonhos” em março de 2018

Tânia Castilho refere que, nos dias 24 e 25 de março de 2018, Tomar vai acolher, no âmbito do projecto mundial ALL Ladies League (ALL), o evento Mulheres Bordadoras de Sonhos que consiste em colocar mulheres a falar sobre os sonhos que já conseguiram alcançar, inspirando outras a realizar os seus próprios sonhos. O evento decorre no Instituto de Linguas Linda’s School. “Não é um movimento feminista. Pretende-se que as mulheres percebam que, afinal têm voz. E que não é a competirem umas com as outras ou a ser iguais aos homens que vão conseguir chegar a algum lado”, refere. “Ao criarem sinergias e ao valorizarem o que há de único em cada uma pode haver harmonia”, atesta. Mais informações através do email: mulheresbordadorasdesonhos@gmail.com

SINOPSE DO LIVRO “Ser Amor: Para além da Ilusão”

Se há um tema que intriga quase toda a gente, esse tema é sem dúvida o Amor. É por isso que desde sempre me tem intrigado também a mim, impelindo-me a encontra-lo… senti-lo… experiencia-lo: Sê-lo! Muito me tenho questionado sobre o amor, embora as respostas não tenham sempre sido claras ou fáceis de encontrar. Mas encontrei-me, no Amor, em Amor e urge-me partilhar, brincando com as texturas das palavras que nunca poderão abarcar o sentir que aqui respiras. Tanto o título para este livro como o seu conteúdo foram reconstruídos conforme cresço em Amor. Por isso Não Apenas mais um Livro Sobre o Amor: O LIVRO sobre O AMOR passou a ser, simplesmente: SER!… Amor – Para Além da Ilusão. Muitas partes mantêm-se, outras foram alteradas e outras ainda acrescentadas. Este continua a ser um livro sobre a paleta de cores do amor, variando desde o que parece ser, até o que realmente é. É abordado o panorama do que mata o amor, ou seja, o processo de cair no amor (a que chamo de os 7 Pecados Mortais do Amor), e depois aquilo que expande o amor, ou seja, o processo de elevar-se no amor – de SER AMOR. Surgem muitos temas contemporâneos e controversos ao longo do livro, trazendo novas perspetivas sobre abordagens tão diversas como o namoro, o casamento e o divórcio, a educação das crianças, o feminino e o masculino dentro de cada pessoa e na sociedade em geral, a sexualidade, a sensualidade, a atração, a paixão, a homossexualidade e muito, muito mais. Adicionei a minha própria Estória de Vida Amorosa, trazendo uma dimensão mais tangível à vastidão deste tema. Claro que não há melhor forma de descobrir o real alcance do que aqui está contido, senão através da sua leitura. Por isso prossegue e diverte-te, descobrindo o amor de muitas formas novas. Algumas passagens podem ser bastante desafiantes, uma vez que abanam os alicerces dos sistemas de crenças de massas e até com as crenças espirituais generalizadas, mas de qualquer modo pouco importa, porque tu podes decidir se o que lês ressoa contigo ou não. Tenho apenas uma recomendação: lê com o teu coração e deixa a cabeça descansar por uns momentos, enquanto absorves estas páginas. O teu lado analítico não consegue entender o amor. É uma coisa do coração. Por isso por favor ao menos tenta aquietar a mente e despertar o teu sentir. Assim será bem mais fácil apreciar a magnificência do AMOR que É… e também ver para além das mentiras que tendemos a julgar serem o amor, que não é. Nota: lê este livro por tua própria conta e risco. A autora não toma responsabilidade por quaisquer transformações profundas que possam vir a ocorrer em ti e na tua vida!

Aos 12 anos já queria ser jornalista e todo o seu percurso académico foi percorrido com esse objetivo no horizonte. Licenciada em Jornalismo, exerce desde 2005, sempre no jornalismo de proximidade. Mãe de uma menina, assume que tem nas viagens a sua grande paixão. Gosta de aventura e de superar um bom desafio. Em maio de 2018, lançou o seu primeiro livro de ficção intitulado "Singularidades de uma mulher de 40", que marca a sua estreia na escrita literária, sob a chancela da Origami Livros.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome