- Publicidade -

Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
- Publicidade -

Tomar | Curtas-metragens regressam com o 2º Festival PLANOS

O final da semana fica marcado pelo regresso do PLANOS – Festival internacional de curtas-metragens de Tomar, com o início da segunda edição marcado para esta sexta-feira, dia 24, no Cine-Teatro Paraíso. O programa de dois dias integra três sessões competitivas com 21 filmes de Portugal, Suécia, Reino Unido, Itália, Argentina, Taiwan, França, E.U.A., Holanda, Espanha, México e Geórgia, assim como duas sessões com a presença de convidados especiais e uma dirigida ao público infantil.

- Publicidade -

A iniciativa organizada pela Tripé Produções arranca às 21h30 de dia 24 com a presença do cineasta Flávio Ferreira durante a sessão em que são exibidas as suas curtas-metragens “Pele de Cordeiro” e “Norley y Norlen”. Neste dia realiza-se, igualmente, a primeira sessão competitiva com os filmes “Ivan” (Portugal), “Bitchboy” (Suécia), “Blind Fate” (Reino Unido), “Penalty” (Itália) e “Post-Mortem” (Portugal).

- Publicidade -

O cineasta Flávio Ferreira é um dos convidados do festival na sessão em que é exibida a sua curta-metragem “Pele de Cordeiro”

O sábado de manhã é dedicado aos cinéfilos de palmo e meio e famílias, a partir das 10h30, com a sessão infantil “Planinhos”, organizada pelo Cineclube de Tomar. A meio tarde, pelas 16h30, começa a terceira sessão competitiva com as curtas-metragens “Stella 1” (Itália), “Record Kid” (Argentina), “Coerência” (Portugal), “Fragile” (Taiwan), “Half-Time” (França), “Laranja Amarelo” (Portugal), “Manhunt” (Itália), “Lube Job” (E.U.A.), “Night of Brass” (Holanda), “Maelstrøm” (Espanha) e “78.4” (Portugal).

O cineteatro municipal recebe a produtora de cinema, publicidade, televisão e new media Koto Studios às 21h30 e as suas produções “Conto do Vento” e “Esperânsia”. A noite termina com a terceira sessão competitiva na qual são exibidos os filmes “Marasmo” (Portugal), “A Good Man” e “8 Minutes” (Geórgia).

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome