Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Novembro 30, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tomar | Curta-metragem “O Silêncio”, da Tripé, exibida no Reino Unido

A curta-metragem “O Silêncio” da produtora tomarense Tripé, adaptada de conto homónimo de Sophia de Mello Breyner Andresen e realizada por Pedro Caldeira e Paulo Graça, vai estrear-se no Reino Unido tendo sido selecionada para a 6ª edição do Fisheye Film Festival. “É um orgulho enorme saber que podemos mostrar este filme além-fronteiras!”, reage a produtora.

- Publicidade -

O trabalho, desenvolvido em parceria com Espaço 0 – Artes Comunicantes, Dream It e Município de Tomar, foi totalmente filmado em película de 16 mm, tendo sido lançada em 2020. Durante 6:50′, o protagonismo é dado a Inês Conchinha e Pedro Granchinho que integram o elenco deste filme de drama/horror. A distribuição da obra está a cargo da Querelle Films.

“O silêncio desenhava as paredes, cobria as mesas, emoldurava os retratos. O silêncio escul­pia os volumes, recortava as linhas, aprofunda­va os espaços. Foi então que se ouviu o grito”, lê-se na sinopse desta obra que esteve nomeada em 2020 para Prémio Melhor Curta de Terror Portuguesa / Méliès d’argent do Festival MOTELX.

- Publicidade -

A 6ª edição do Fisheye Film Festival decorre entre 22 de abril e 1 de maio, e é um festival que pretende levar talentos e produções não convencionais, criando partilha de sinergias, promovendo concursos internacionais e exibição de curtas-metragens a nível mundial, entre outras atividades que pretendem estimular e valorizar o trabalho das produtoras locais e profissionais que vão além do tradicionalmente exibido no grande ecrã.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome