Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Junho 21, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Tomar | Curta-metragem de realizadores tomarenses premiada a dobrar no Leiria Film Fest

A curta-metragem “Dessa Água Não Beberei”, dos realizadores tomarenses Pedro Caldeira e Paulo Graça, alcançou o Prémio do Público e o de Melhor-Curta Metragem Regional na edição de 2021 do Leiria Film Fest. Filmado em Tomar, a curta conseguiu destacar-se na iniciativa que contou com cerca de 400 participantes e com mais de 50 películas projetadas e em competição.

- Publicidade -

O Leiria Film Fest terminou no domingo, dia 30 de maio, e nesse sentido a produtora tomarense Tripé, de Pedro Caldeira e Paulo Graça, conseguiu uma estreia bem sucedida com este novo filme.

“Voltamos sempre do Leiria Film Fest com o coração cheio. Desta vez até trouxemos dois prémios: o Prémio do Público e o de Melhor-Curta Metragem Regional! Foi a melhor estreia que o nosso “Dessa Água Não Beberei” poderia ter! A todos os que tornaram isto possível, um eterno obrigado!”, reage a produtora de Tomar nas redes sociais.

Segundo a organização do Leiria Film Fest esta curta-metragem trata “uma história íntima, real e muito pessoal, contada através de uma cinematografia e som brilhante, mostra que o cinema na região está vivo, a crescer, esforça-se e recomenda-se”. Foto: LFF
- Publicidade -

Segundo nota da autarquia tomarense, o júri do Leiria Film Fest elogiou a curta-metragem, que é “uma história íntima, real e muito pessoal, contada através de uma cinematografia e som brilhante”, que “mostra que o cinema na região está vivo, a crescer, esforça-se e recomenda-se”.

O filme conquistou também o prémio do público com 71% dos votos, numa sessão que atingiu a lotação máxima e que foi muito emotiva dada a natureza autobiográfica do filme.

Trailer da curta-metragem

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres: o conhecimento e o saber, a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome